Termoterapia

Termoterapia

A termoterapia é o tratamento baseado no uso de meios físicos como as bolsas quentes ou geladas.

O esfriamento de uma área do corpo provoca o estreitamento dos vasos sanguíneos (ao que se chama de vasoconstrição) e diminui a chegada do processo inflamatório – caracterizado por três sinais: inchaço, calor e vermelhidão.

O aquecimento relaxa a musculatura dos vasos sanguíneos e melhora a circulação ao que se chama de vasodilatação), auxiliando na remoção do processo inflamatório.

Ambos os tratamentos melhoram a dor, porém cada um é indicado para um determinado tipo de situação.

1-Hipertermoterapia
Consiste na aplicação de calor sobre a pele, podendo ser:
a) Calor Seco: Através de bolsa de água quente ( mais usado pela enfermagem), bolsas elétricas, raios infravermelhos.
b) Calor Úmido: por meio de compressas quentes, cataplasma ou emplasto ( uma forma de medicação caseira caracterizada pela colocação de alguma substância sólida sobre a pele, com o intuito de aquecer ou amolecer tecidos).
Indicações:
-Inflamação subaguda e crônica
-Redução da dor crônica e subaguda
-Espasmo muscular crônico e subagudo
-Redução da amplitude de movimento
-Resolução de hematomas
-Redução de contraturas articulares
Contra indicações:
-Feridas cirúrgicas
-Hemorragias
-Lesões abertas (como escaras)
-Luxações e trações, antes de 24 horas
-Presença de processos tromboembólicos
-Doentes hemofílicos
-Doentes com fragilidade capilar
-Neoplasias
Efeitos sistêmicos da aplicação de calor:
-Aumento da temperatura corporal
-Aumento da pulsação
-Aumento da frequência respiratória
-Redução da pressão arterial
Efeitos locais da aplicação do calor
-Vasodilatação
-Aumento da taxa do metabolismo celular
-Aumento da libertação de leucócitos
-Aumento da permeabilidade capilar
-Aumento da drenagem venosa e linfática
-Formação de edema
-Remoção de resíduos metabólicos
-Redução do tônus muscular
-Redução do espasmo muscular
-Transpiração
– Aumento da velocidade de condução nervosa
-Aumento da elasticidade dos ligamentos
Material
Bolsa de borracha, forro para cobrir a bolsa, de preferência flanela, água quente.
Procedimentos
1. Certificar-se do local que deverá receber a aplicação;
2. Orientar o paciente sobre o procedimento;
3. Reunir o material;
4. Testar as condições da bolsa, para não ocorrer vazamento;
5. Colocar a água quente na bolsa, retirar todo o ar do interior da mesma e fechá-la;
6. Virar a bolsa com o gargalho para baixo, observar se está bem fechada e enxugá-la;
7. Cobrir a bolsa com o forro e observar se a temperatura através do pano está adequada;
8. Aplicar no local indicado e deixar no local no mínimo 20 minutos e no máximo 40 minutos;
9. Avaliar as condições da pele no local, 2 ou 3 minutos após a aplicação da bolsa, para certificar-se de que essa temperatura não vai causar queimaduras no paciente;
10. Terminada a aplicação, retirar a bolsa e manter a região agasalhada para evitar corrente de ar;
11. Deixar o paciente em ordem e confortável;
12. Esvaziar a bolsa e pendurá-la com o gargalho para baixo até secar;
13. Anotar o procedimento e o efeito no relatório.
Crioterapia
É a aplicação de frio, sob a forma de:
a) Frio Seco: através de bolsa de gelo;
b) Frio Úmido: através de compressas frias.
Indicações da crioterapia
As indicações da crioterapia incluem:
• Lesões musculares, como, por exemplo, entorses, pancadas ou manchas roxas na pele;
• Lesões ortopédicas;
• Dores musculares;
• Inflamação dos músculos e das articulações;
• Queimaduras leves;
• Abaixar a febre;
• Controlar hemorragias;
• Tratamento das verrugas do HPV.
Contra indicações da Crioterapia:
As contraindicações da crioterapia incluem:
• Ferida aberta;
• Pós-cirúrgico imediato;
• Infecções;
• Má circulação sanguínea;
• Doença imunológica;
• Hipotireoidismo;
• Psoríase;
• Doença cardíaca;
• Tratamento para o câncer;
Material
Bolsa de borracha, tecido para cobrir a bolsa e gelo picado.

Cuidados importantes 
Técnica para aplicação de bolsa de gelo:
1. Seguir os mesmos cuidados descritos na aplicação de bolsa quente;
2. Colocar as pedras de gelo na bolsa, enchendo até a metade;
3. Fechar a bolsa, testar se não há vazamento e enxugá-la;
4. Envolver a bolsa com a coberta (toalha, flanela);
5. Aplicar no local e deixar o tempo que for indicado, conforme prescrição médica;
6. Trocar o gelo sempre que necessário, se o tempo da aplicação for prolongado;
7. Retirar a bolsa ao termino da aplicação, verificar o local observando o resultado;
8. Deixar o paciente confortável e em ordem;
9. Anotar o procedimento e o resultado no relatório de enfermagem.
• Observar constantemente a área de aplicação. Qualquer alteração da pele e queixas do paciente, suspender o procedimento e comunicar o médico;
• Em pacientes idosos, inconscientes, desnutridos e crianças deve-se ter cautela quanto ao limite da temperatura, devido à maior sensibilidade da pele;
• Nunca colocar bolsa com água quente debaixo do paciente, para evitar compressão excessiva da mesma, pois resulta em vazamento e queimaduras ao paciente;
• Não fazer aplicação de bolsa de gelo além de 30 minutos, devido ao risco de causar necrose.
Anúncios