Que Medicamento é Esse?: Piperacilina/Tazobactam

Piperacilina

O Piperacilina sódica + Tazobactam Sódico é indicado para garantir ampla cobertura e mantê-lo eficaz em debelar as infecções causadas pelas bactérias sensíveis á piperacilina sódica + tazobactam sódico.  É indicado para o tratamento das seguintes infecções bacterianas:

Em Pessoas adultas

1. Infecções do aparelho respiratório inferior (pneumonias).
2. Infecções das vias urinárias (complicada ou não complicada).
3. Infecções intra-abdominais.
4. Infecções da pele e tecidos moles.
5. Infecção generalizada bacteriana.
6. Infecções ginecológicas, incluindo infecção da parede interna do útero no pós-parto e doença inflamatória do aparelho reprodutor feminino.
7. Infecções neutropênicas febris, em associação a um antibiótico aminoglicosídeo.
8. Infecções dos ossos e articulações.
9. Infecções polimicrobianas (mais de um microrganismo causador).

Em Crianças

1. Infecções febris em pacientes pediátricos, que apresentem baixa quantidade de células sanguíneas responsáveis pela defesa do organismo (neutrófilos) em associação a um aminoglicosídeo (classe de antibiótico como amicacina).
2. Infecções intra-abdominais em crianças com 2 anos ou mais.

Como Funciona?

Este medicamento é uma associação antibacteriana injetável que consiste de um antibiótico, a piperacilina sódica, utilizada contra as principais bactérias sensíveis a este antibiótico causadoras de infecção, e um ácido, tazobactam sódico, que age inibindo a resistência que algumas bactérias adquirem ao antibiótico piperacilina. A sua ação farmacológica inicia-se imediatamente após a
sua entrada no sangue.

Os Efeitos Colaterais

  • Cardiovascular: Arritmias, ICC;
  • Dermatológicas: rash, urticária;
  • Gastro Intestinal: Colite Pseudomembranosa, diarréia, náusea;
  • Geniturinário: hematúria (crianças), nefrite intersticial;
  • Hematológicas: sangramento, discrasias sangüíneas, aumento do tempo de sangramento;
  • Hepática: hepatite medicamentosa;
  • Hidreletrolíticas: hipocalemia, hipernatremia;
  • Local: flebite (IV);
  • Metabólica: alcalose metabólica;
  • SNC: convulsões (doses mais altas), confusão, letargia;
  • Outras: reações de hipersensibilidade (anafilaxia, doença do soro), superinfecção.

Quando é Contraindicado?

Hipersensibilidade a penicilinas ou tazobactam (possibilidade de reatividade cruzada com cefalosporinas). Use cuidadosamente nos casos de prejuízo renal (se CCr < 40ml/min, recomenda-se reduzir a dose ou aumentar os intervalos) e restrição ao sódio. Gestação ou lactação: segurança ainda não estabelecida.

Os Cuidados de Enfermagem

  • A medicação deve ser administrada exatamente conforme recomendado e o tratamento não deve ser interrompido, sem o conhecimento do médico, ainda que o paciente alcance melhora;
  • A medicação não deve ser usada durante a gestação ou lactação (exceto se os benefícios justificarem os possíveis riscos para o feto). No caso de gravidez (confirmada ou suspeita) ou, ainda, se a paciente estiver amamentando ou planejando amamentar, o médico deverá ser comunicado imediatamente. Recomenda-se cautela também nos casos de prejuízo renal (se CCr <40ml/min., recomenda-se reduzir a dose ou aumentar os intervalos) e restrição ao sódio;
  • Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentemente relacionadas ao uso da medicação e que, diante a ocorrência de qualquer uma delas, principalmente sinais de super-infecção (febre, língua saburrosa, prurido ou descarga vaginal, diarreia ou fezes fétidas) e alergia, como também se as fezes se apresentarem com sangue, pus ou muco, O médico deverá ser comunicado imediatamente. O paciente não deverá tentar tratar a diarreia ou tomar quaisquer antidiarreicos, sem antes consultar o médico. Este efeito pode ser prolongado até várias semanas após a suspensão da medicação;
  • A Medicação deve ser administrada exclusivamente por esta via (EV), sendo reconstituído com diluentes compatíveis (cloreto de sódio à 0,9%, água destilada), sendo o volume máximo recomendado de 50ml;
  • Após a rediluição, dilua novamente a solução no volume desejável com uma das soluções compatíveis (glicose 5%, dextrano 6%, cloreto de sódio 0,9%, Ringer Lactato), e não misture com outra medicações na mesma seringa;
  • Para pacientes em hemodiálise, a dose diária máxima é 8 g de piperacilina/1 g de tazobactam. Além disso, uma vez que a hemodiálise remove 30% – 50% de piperacilina em 4 horas, uma dose adicional de 2 g de piperacilina/250 mg de tazobactam deve ser administrada após cada sessão de diálise. Para pacientes com insuficiência renal e hepática, medidas dos níveis séricos de piperacilina sódica e tazobactam sódico, quando disponíveis, poderão fornecer informações adicionais para o ajuste de dose.

Veja Também:

Antibióticos e os Cuidados de Enfermagem

Anúncios