Pseudomonas

pseudomonas.png

Bactérias Pseudomonas são as bactérias do gênero Pseudomonas de gama proteobactérias. Este tipo de bactérias é frequentemente infeccioso e tem muitas características em comum com outras bactérias patogénicas . Elas ocorrem muito vulgarmente em água e em alguns tipos de sementes de plantas e, por esta razão, foram observadas muito cedo na história da microbiologia . O nome Pseudomonas significa literalmente “falsa unidade”.

Bactérias Pseudomonas são de forma cilíndrica, como muitas outras estirpes bacterianas, e são Gram-negativas. Isto significa que, quando coradas com uma certa de corante vermelho-violeta de acordo com o protocolo de coloração de Gram, não reter a cor do corante depois de ser lavado. Este fato dá pistas importantes sobre a estrutura da parede celular da bactéria Pseudomonas. Isso mostra que ele é resistente a alguns tipos de antibióticos, fato que está provando ser cada vez mais relevante.

Pseudomonas Aeruginosa

É o principal patógeno humano do grupo, podendo causar infecções oportunistas especialmente em pacientes imunocomprometidos, como vítimas de queimaduras, pacientes com câncer ou fibrose cística. Crescem facilmente mesmo em condições desfavoráveis aos outros microrganismos e possuem resistência intrínseca e adquirida aos antimicrobianos mais comuns, sendo causa freqüente de infecções nosocomiais.

É uma bactéria invasiva e toxigênica. O conhecimento das características da P. aeruginosa e de seus mecanismos de patogênese é muito importante para os profissionais de saúde.

 

Quem recebe esta infecção?

Pessoas no hospital pode obter esta infecção. Nos hospitais, a bactéria pode se espalhar através de equipamentos médicos, soluções de limpeza, e outros equipamentos. Eles podem até se espalhar através dos alimentos. Quando eles se espalharam para os pacientes que são fracos por causa da doença, cirurgia ou tratamento, podem causar infecções muito graves. Por exemplo, a pseudomonas é uma das principais causas de pneumonia em pacientes que estão em máquinas de respiração.

Vítimas de queimaduras e pessoas com perfurações podem ter infecções pseudomonas perigosos do sangue , osso, ou do trato urinário . A bactéria também pode entrar no corpo através de IV agulhas ou cateteres.

Estas bactérias, como ambientes úmidos, como banheiras de hidromassagem e piscinas piscinas, onde eles podem causar uma pele erupção ou ouvido de nadador.

Pessoas que usam lentes de contato pode levar a sério olho infecção se a bactéria entrar em suas soluções para lentes de contato. Isso pode acontecer se você não for cuidadoso sobre como manter suas lentes de contato e equipamentos estéreis.

Quais são os sintomas?

Os sintomas dependem da localização da infecção. Se está em uma ferida, pode haver exsudato verde-azulado ou em torno da área, obtendo um odor típico.  Quando as infecções são em outras partes do corpo, você pode ter uma febre e sensação de cansaço.

Como é uma infecção tratada?

Os antibióticos são o tratamento principal.  Pode ser difícil encontrar o antibiótico certo, porque as bactérias são resistentes a muitos destes medicamentos.

Em alguns casos, a cirurgia é utilizada para remover o tecido infectado.

Como você pode evitar ficar ou espalhar a infecção?

Como as bactérias mais resistentes a antibióticos podem desenvolver, os hospitais estão tomando cuidado extra para a prática de controle de infecção. Isso inclui freqüente lavagem das mãos e isolar pacientes que estão infectados.

Aqui estão alguns outros passos que você pode tomar para se proteger:

Boas práticas de higiene:

Mantenha as mãos limpas, lavando-as com frequência e bem. Lavar as mãos é a melhor maneira de evitar os germes se espalhando. Você pode usar sabão e água corrente limpa ou um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Mantenha cortes e arranhões limpos e cobertos com uma bandagem. Evite o contato com feridas ou curativos de outras pessoas.

Não compartilhe objetos pessoais, como toalhas ou lâminas de barbear.

Seja inteligente sobre antibióticos:

Sabemos que os antibióticos podem ajudar quando uma infecção é causada por bactérias. Mas eles não podem curar infecções provocadas por um vírus. Sempre pergunte ao médico se os antibióticos são o melhor tratamento.

Sempre tomar todo o seu antibiótico como prescrito. Usando apenas uma parte do medicamento pode fazer com que as bactérias resistentes aos antibióticos, para se desenvolver.

Não guarde todos os antibióticos. E não use os que foram prescritos para outra pessoa.

Se você estiver no hospital, lembre aos médicos e equipe de enfermagem para lavar as mãos antes de tocar em você.

Se você tiver uma infecção por pseudomonas, você pode manter a propagação da bactéria:

Cubra o ferimento com curativos limpos e secos. Siga as instruções do médico sobre como cuidar de seu ferimento.

Mantenha as mãos limpas. Você, sua família e outras pessoas com quem você está em contato próximo devem lavar as mãos com frequência, especialmente depois de trocar um curativo ou tocar em uma ferida.

Não compartilhar toalhas, panos, lâminas de barbear, roupas ou outros itens que possam ter tido contato com a ferida ou uma bandagem. Lave as folhas, toalhas e roupas com água morna e detergente, e seque-as em um secador quente, se possível.

Manter o ambiente limpo, usando um desinfetante para limpar todas as superfícies você tocar muitas vezes (como bancadas, maçanetas e interruptores de luz).

CUIDADOS COM O PACIENTE COLONIZADO

Reforçar as orientações sobre higienização das mãos, reconhecida como a principal medida para reduzir a disseminação de patógenos no ambiente hospitalar. As recomendações da OMS para a higienização das mãos englobam cinco indicações, sendo justificadas pelos riscos de transmissão de micro-organismos.

– Para a maior parte dos pacientes colonizados/infectados por MR devem ser adotadas precauções de contato e mantido o uso de máscara cirúrgica na situação de possibilidade de respingos, assim como os demais EPIs recomendados para manter precauções padrão.

– Manter o paciente em quarto privativo, quando não for possível, deve-se providenciar uma Área Isolada ou Coorte conforme recomendação do manual de Prevenção de Transmissão de Agentes Infecciosos no Ambiente Hospitalar.

– Colocar na porta do quarto ou em local próximo ao leito do paciente a Ficha com Instrução para as Precauções Anti-infecciosas a serem adotadas e também a placa de identificação de MR na cabeceira do leito;

– Materiais e equipamentos para aferir sinais vitais (termômetros, estetoscópio e esfigmomanômetro) devem ser de uso exclusivo do paciente, devendo realizar a desinfecção com álcool a 70% diariamente. Após a alta do paciente devem ser:

1 – Antes do contato com o paciente;
2 – Antes da realização de procedimento asséptico;
3 – Após a exposição a fluídos corpóreos;
4 – Após contato com o paciente;
5 – Após contato com o ambiente próximo ao paciente;

Para a maior parte dos pacientes colonizados/infectados por MR devem ser adotadas precauções de contato e mantido o uso de máscara cirúrgica na situação de possibilidade de respingos, assim como os demais EPIs recomendados para manter precauções padrão.

– Manter o paciente em quarto privativo, quando não for possível, deve-se providenciar uma Área Isolada ou Coorte conforme recomendação do manual de Prevenção de Transmissão de Agentes Infecciosos no Ambiente Hospitalar.

– Colocar na porta do quarto ou em local próximo ao leito do paciente a Ficha com Instrução para as Precauções Anti-infecciosas a serem adotadas e também a placa de identificação de MR na cabeceira do leito;

– Materiais e equipamentos para aferir sinais vitais (termômetros, estetoscópio e esfigmomanômetro) devem ser de uso exclusivo do paciente, devendo realizar a desinfecção com álcool a 70% diariamente. Após a alta do paciente devem ser submetidos à rigorosa limpeza e desinfecção, inclusive encaminhar a braçadeira esfigmomanômetro de tecido para a lavanderia;

– Não fazer estoque de materiais (pacotes gazes, compressas, esparadrapos, fitas,…) no quarto do paciente, pois os mesmos no final de isolamento devem ser desprezados quando alta, transferencia externa e óbito. Nos casos de transferências internas (ex. UTIs p/ enfermarias) encaminhar com o paciente.

– Manter a disponibilidade dos EPIs recomendados (luvas de procedimento, avental descartável e máscara), para serem dispostos próximo à enfermaria do paciente, se possível utilizando uma mesa auxiliar, garantindo acondicionamento adequado dos mesmos.

– Manter a disponibilidade de sabão com Clorhexidine para higienização das mãos nas pias próximas ao local de alojamento do paciente com MR

– Orientar o paciente, seus acompanhantes e os profissionais do setor sobre as precauções necessárias;

– Escalar profissional da equipe de enfermagem exclusivo para atender especificamente este paciente, quando possível.

– Orientar os profissionais das áreas de apoio, que realizam atendimento na área de internação do paciente, sobre a necessidade de utilizar as precauções recomendadas e garantir a rigorosidade na higienização das mãos.

Anúncios