O uso da roupa privativa

O uso da roupa privativa faz parte de nossa rotina diária. É uma norma regulamentadora do Ministério do trabalho, a NR 32, tendo em pauta os seguintes itens:

 32.10.19 O empregador deve fornecer, sem ônus para o empregado, vestimenta de trabalho adequada aos riscos ocupacionais em condições de conforto, bem como responsabilizar-se por sua higienização.

32.10.20 Antes de sair do ambiente de trabalho, após o seu turno laboral, os trabalhadores devem retirar suas vestimentas e os equipamentos de proteção individual, que possam estar contaminados por agentes biológicos e colocá-los em locais para este fim destinados.

 

Por isso o uso do mesmo é destinado somente à aqueles que exercem funções em áreas fechadas, com risco de contaminações biológicas. Podendo haver riscos decorrente da presença de um agente biológico e/ou seu produto como parasitas, fungos, linhagens celulares, bactérias, clamídias, riquétsias, micoplasmas, vírus, príons e toxinas.

É proibido seu uso em áreas comuns dos hospitais como: Recepção, refeitório, área externa, pois o risco de contaminação cruzada em áreas limpas é maior. Ao sair de uma área fechada, o profissional deverá retirar sua roupa privativa e utilizar seu uniforme de trabalho. Infelizmente já vimos muitos casos de “profissionais” no qual utilizam roupas privativas para saírem para almoçar em refeitórios e em até em ambiente externo do hospital, levando nossa profissão na mídia como “irresponsáveis”, sendo que não podemos nos igualar aos poucos que não têm ao menos um pouco de ética profissional na instituição onde trabalham. Pois tenho certeza que treinamento os mesmos tiveram, isso é obrigação da CCIH informar e orientar os profissionais sobres os riscos iminentes.

Anúncios