Nutrição Enteral (NE)

A nutrição enteral (NE) refere-se a todo e qualquer alimento com finalidades especiais, como ingestão controlada de nutrientes, isoladamente ou em associação, de composição definida ou estimada, exclusivamente elaborada e formulada para ser administrada por meio de sondas ou via oral, industrializado ou não, utilizada exclusiva ou parcialmente, visando substituir ou complementar a alimentação oral em pacientes desnutridos ou não, de acordo com as suas necessidades nutricionais, em ambiente hospitalar, domiciliar ou ambulatorial, objetivando a produção ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas do organismo.
 
Todos os indivíduos que estão com o trato gastrointestinal íntegro ou que se encontram com suas funções parcialmente preservadas, com redução do apetite ao ponto de não consumirem os nutrientes mínimo necessários para o funcionamento adequado do organismo, ou então, aqueles que estão impossibilitados de se alimentarem através da via oral, devem receber NE.
 
A NE é feita por meio de uma sonda que chega diretamente ao estômago ou intestino delgado e pode ter diferentes vias de acesso, como:
 
-Nasogástrica;
-Nasoentérica;
-Faringostomia;
-Gastrostomia;
-Jejunostomia.
 
A forma de escolha da via de acesso fica na dependência de fatores como a duração prevista da NE, o nível de chances de aspiração ou deslocamento da sonda, a presença ou ausência de ingestão e absorção anormais, se há previsão ou não para uma intervenção cirúrgica e também viscosidade e volume da fórmula.
 
Embora sejam incomuns, complicações podem surgir, como:
 
-Obstrução da sonda;
-Saída ou migração acidental da sonda;
-Lesões nasais, necrose ou surgimento de abscesso no septo nasal;
-Esofagite, úlceras esofágicas e estenose;
-Sinusite;
-Rouquidão;
-Ruptura de vasos no esôfago;
-Fístula traqueoesofágica;
-Complicações pulmonares.
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM
 
– LAVAGEM DAS MÃOS ANTES E APÓS PROCEDIMENTOS;
 
– Limpeza com álcool e gaze nas junções da sonda e equipo antes de instalar a dieta;
 
– Manter a sonda fixa na pele, com esparadrapo anti-alérgico;
 
– Não tracionar a sonda enteral;
 
– Observar a marcação ou numeração da sonda diariamente (para garantir que não saiu do lugar);
 
– Fornecer a dieta sempre com cabeceira elevada (35 a 45 Graus) ou em posição de fowler;
 
– Lavar a sonda com 20 ml de água filtrada após dietas ou medicações;
 
– Após as dietas, manter paciente sentado ou com a cabeceira elevada por pelo menos 30 minutos ou a critério médico;
 
– Diluir bem as medicações, antes de administrar;
 
– Trocar o equipo da dieta 1 vez ao dia (em 24 horas).
dietaenteral.png
Anúncios