Marcapasso

marcapasso.png

O marcapasso cardíaco é um pequeno aparelho que é colocado no peito ou abdômen para ajudar a controlar ritmos anormais do coração. O marcapasso usa pulsos elétricos para fazer com que o coração bata em ritmo normal.

O coração tem seu próprio sistema elétrico que controla a freqüência e ritmo do batimento cardíaco. Em cada batimento cardíaco, um sinal elétrico se espalha do tipo do coração até abaixo dele. À medida que o sinal viaja, ele faz com que o coração contraia e bombeie sangue.

Falha no sistema elétrico do coração causa arritmias. Um marcapasso usa pulsos elétricos de baixa energia para superar essa falha na sinalização elétrica. Marcapasso cardíaco pode:

* Acelerar um ritmo cardíaco lento.
* Ajudar a controlar ritmo cardíaco anormal ou rápido.
* Certificar que os ventrículos contraiam normalmente.
* Coordenar a sinalização elétrica entre as câmaras superiores e inferiores do coração.
* Coordenar a sinalização elétrica entre os ventrículos.
* Prevenir arritmias perigosas.
Marcapassos também podem monitorar e registrar a atividade elétrica do coração e ritmo cardíaco. Novos tipos de marcapasso podem monitorar a temperatura sanguínea, freqüência de respiração e outros fatores, e ajustar a freqüência cardíaca às atividades.

Marcapasso provisório e definitivo

O marcapasso pode ser provisório ou definitivo. Marcapasso provisório é usado para tratar problemas temporários de batimento cardíaco, como batimentos lentos ocasionados por ataque cardíaco, cirurgia cardíaca ou overdose de medicamento.

Marcapasso provisório também é usado durante emergências até que o definitivo possa ser implantado, ou até que a condição temporária seja resolvida. A pessoa com marcapasso provisório deve permanecer no hospital enquanto estiver com o aparelho.

Já o marcapasso definitivo é usado para controlar problemas de ritmo cardíaco de longo prazo.

Os médicos também tratam arritmias com outro aparelho chamado desfibrilador cardioversor implantável. Esse aparelho é similar ao marcapasso, porém ao invés de usar pulsos elétricos de baixa energia, ele também pode usar pulsos elétricos de alta energia para tratar certas arritmias perigosas.

Cuidados de Enfermagem com os Marcapassos

Marcapasso Transcutâneo

Tem a aplicação simples e fácil, devendo ser utilizado até que um marcapasso transvenoso ou definitivo sejam providenciados.

* Devemos sempre orientar o paciente sobre o procedimento a ser realizado;
* Conecte os eletrodos (pás adesivas) do marcapasso ao cabo e ao aparelho (desfibrilador);
* Realize se necessário a tricotomia do tórax para que as pás fiquem bem aderidas;
* Limpe a região da pele com álcool ou água e sabão para retirar a camada de gordura da pele;
* Se necessário, utilize gel condutor;
* Coloque uma pá posicionadas no tórax do paciente (lado superior direito) e a outra pá no tórax inferior esquerdo;
* Ligue o desfibrilador, selecionando a freqüência de demanda e a corrente indicadas pelo médico;
* Utilize analgésicos ou sedação se necessário, pois é um procedimento incômodo para o paciente por produzir estímulos elétricos e sensação de choque;
* Mantenha o paciente constantemente monitorado ( FC, FR, Oximetria);
* Fique atento para sinais de baixo débito cardíaco, queda na perfusão periférica, palidez cutânea;
* Mantenha o paciente com o marcapasso transcutâneo até sua estabilização e o implante de um marcapasso transvenoso ou definitivo;


Marcapasso Transvenoso

O implante do marcapasso transvenoso é realizado também em situações de emergência, em casos de bradiarritmias e bloqueios atrioventriculares, com a introdução de um eletrodo em contato físico com o endocárdio através de um acesso vascular central. Sua passagem é semelhante a passagem de um acesso venoso central (intracath, por exemplo).

* Antes de se iniciar a passagem, cheque se a bateria do equipamento está funcionando adequadamente e certifique-se de que hajam pilhas reservas;
* Oriente o paciente sobre o o procedimento;
* Mantenha o paciente em monitorização constante;
* Auxilie o médico no ato da passagem do marcapasso transvenoso;
* Durante o implante, fique atento a possíveis arritmias;
* Adapte o cabo do marcapasso aos terminais do eletrodo no gerador de pulso, respeitando os pólos positivo e negativo (geralmente por cores Vermelho é positivo e Preto é negativo);
* Realize o curativo da inserção conforme protocolo do CCIH;
* Registre em prontuário os parâmetros selecionados pelo médico ( freqüência cardíaca, amplitude de pulso);
* Caso necessite desfibrilação, o gerador deve ser desligado;
* Fixe o gerador de preferência no tórax do paciente para evitar que o eletrodo se desloque.


Marcapasso Definitivo

O implante do MPD é realizado no centro cirúrgico ou na sala de hemodinâmica, com o paciente sob anestesia local ou geral.

Na UTI, quando temos um paciente que irá ser submetido ao implante de um MPD, devemos nos nos certificar que este paciente encontra-se em jejum, realizar a tricotomia local (geralmente na região do tórax superior) e encaminhá-lo ao setor para a realização do implante.

O pós- operatório é simples, os curativos diários deverão ser realizados conforme protocolo já estabelecido e o cartão de identificação do paciente, relatando que ele é portador de um MPD deve ser entregue à alguém da família orientando-os da importância de ter o cartão sempre junto com o paciente.

Anúncios