Lesões Cutâneas

lesoes pele

As lesões cutâneas incluem qualquer anomalia que ocorre na pele, de uma pequena escoriação a uma ferida profunda.

As lesões cutâneas podem ser a consequência de diversas doenças de pele. Estes incluem:

  • Lesão física;
  • Alergia a alimentos/substâncias. Os alérgenos comuns são: leite, ovos, grãos de pólen, grama, etc.;
  • Doenças de pele, tais como: dermatite de contato, eczema, psoríase, sarampo, rubéola, varicela, queratose seborréica, furunculose, tinea, etc.

As lesões primárias são divididas em:

  • Lesões primária ou primitiva, são as consequências de uma doença inflamatória da pele;
  • Lesões secundárias são evolução das lesões primárias.

MORFOLOGIA PRIMÁRIA

– Cistos: Conhecidos popularmente por “cistos sebáceos”, os cistos encontrados com maior frequência são os epidérmicos e os triquilemais. O conteúdo de ambos não é sebo e sim queratina, a substância que forma a camada mais superficial da pele.

– Fissura: É uma fenda estreita e profunda na pele que se estende à carne, causado devido ao ressecamento da pele, e ocorre nos cantos da boca e nas mãos e pés.

– Mácula: São lesões planas e não palpáveis, em geral com diâmetro <10 mm. As máculas representam alteração da cor, não são elevadas ou deprimidas, se comparadas com a superfície da pele. Placa é uma grande mácula. Os exemplos incluem efélides, nevos planos, tatuagens, manchas em vinho do porto e exantemas devido à infecção por riquétsias, rubéola, sarampo e algumas erupções alérgicas por drogas.

– Nódulo: São pápulas firmes ou lesões que se estendem na derme ou no tecido subcutâneo. São exemplos os cistos, lipomas e fibromas.

– Pápula: São lesões elevadas, em geral com diâmetro < 10 mm e que podem ser sentidas ao tato ou à palpação. Os exemplos abrangem nevos, verrugas, líquen plano, picadas de inseto, queratoses seborreicas e actínicas, algumas lesões de acne e câncer de pele. O termo “maculopapular” é frequentemente impreciso e usado de maneira imprópria para descrever diversos exantemas eritematosos da pele; por ser inespecífico e facilmente mal empregado, esse termo deve ser evitado.

– Pólipo: O pólipo fibroepitelial, também conhecido como acrocórdon ou molusco pendulo, consiste em lesões de pele, benignas, assimétricas, geralmente decorrentes do atrito de roupas, joias, ou até mesmo do próprio cabelo ou unhas, com a pele. Os locais mais comuns de se encontrar estas lesões são no pescoço, face, axilas, porção superior do tronco, pálpebras e também no aparelho urinário de indivíduos de meia-idade ou idosos. Alguns fatores podem colaborar para o surgimento dos pólipos fibroepiteliais como obesidade, gravidez, menopausa e distúrbios endócrinos. Alguns pesquisadores acreditam que a presença dessa lesão pode indicar uma maior probabilidade de desenvolver pólipos de cólon.

– Pústula: São vesículas que contêm pus. São comuns em infecções bacterianas e foliculites, podendo ser encontradas em algumas doenças inflamatórias, como na psoríase pustulosa.

– Vesícula: São bolhas pequenas contendo líquido claro, com diâmetro < 10 mm. São características de infecções herpéticas, dermatite de contato alérgica aguda e algumas doenças bolhosas autoimunes (p. ex., dermatite herpetiforme).

– Bolha: São lesões com diâmetro > 10 mm, contendo líquido claro. Podem ser causadas por queimaduras, picadas, dermatite de contato irritativa ou alérgica e reações a drogas. As doenças bolhosas autoimune clássicas compreendem o pênfigo vulgar e o penfigoide bolhoso. As bolhas também podem surgir em doenças hereditárias que apresentam fragilidade cutânea.

CUIDADOS BÁSICOS DE ENFERMAGEM:

– Conservação da integridade da pele;
– Secar a pele sem fricção e hidratação;
– Evitar a maceração;
– Proteger as mãos do contato com a água e frio;
– Não abusar do uso do sabão;
– Utilização de luvas protetores com contato direto à lesão;
– Administração de medicação prescrita;
– Valorizar a área afetada;
– Controlar os fatores ambientais quanto a Tª e ambiente;
– Cuidados para o alívio de moléstias;
– Prevenir e tratar a sequelas da pele;
– Melhorar a autoestima do paciente;
– Alternativas para a melhoria da autoimagem;
– Educação para o autocuidado da pele;
– Informar sobre os cuidados da pele;
– Orientar sobre os hábitos alimentários;

Anúncios