Ileostomia

A Ileostomia frequentemente é realizada para tratamento de colite ulcerosa em casos de doença de Crohn (enterite regional) e no carcinoma de cólon. A ileostomia drena, constantemente, o conteúdo líquido intestinal, bastante irritativo a mucosa peri estoma. Sua drenagem bastante fluidificada caracteriza dessa forma devido a não absorção de líquidos já que é uma fase do intestino grosso, e com a ileostomia, a mesma é suspensa. A absorção de gordura e de vitamina B pode se apresentar reduzida. Perdas de sódio e potássio são aumentadas.

Numa ileostomia, o orifício (estoma) situa-se no nível do intestino delgado (ileon), sendo suprimido o intestino grosso na sua totalidade.

Em grande parte dos pacientes que necessitam submeter-se ao procedimento, a ileostomia é designada com a intenção de reduzir e controlar os sintomas e tratar ou até mesmo evitar complicações.

É necessário o cuidado geral da ferida da cirurgia abdominal. A equipe de enfermagem deve estar atenta ao estoma quanto à forma e coloração; ele deverá ser róseo a vermelho vivo e brilhoso.

Para a ileostomia, utiliza-se a drenagem em bolsas plásticas que atuam como contenção da drenagem. São equipadas com fita adesiva que é responsável pela aderência na pele circunvizinha ao estoma. Geralmente, são passíveis de aumento do orifício onde se acomoda o estoma.

#compartilheconhecimento

 

ileostomia.png

Anúncios