Hematomas Intracranianos

hematomas intracranianos

Os hematomas intracranianos são formados quando um traumatismo craniano provoca acúmulos de sangue dentro do cérebro ou entre o cérebro e o crânio. Após a lesão, pode também surgir um sangramento entre a aracnoide-máter e a camada interna (pia-máter). Um sangramento nesta área é chamado hemorragia subaracnoidea. Para identificar a gravidade desta hemorragia, é utilizado a escala de Hunt e Hess. Contudo, visto que o sangue subaracnoide geralmente não se acumula em um local, não é considerado um hematoma.

Surgem os sintomas: dor de cabeça persistente, sonolência, confusão, alterações da memória, paralisia no lado oposto do corpo, dificuldades da fala ou da linguagem e outros sintomas, dependendo da zona do cérebro que foi danificada.

Para detectar um hematoma intracraniano, é feito uma tomografia computadorizada ou uma Imagem por ressonância magnética, e até por muitas das vezes, é necessário realizar uma intervenção cirúrgica para drenar o sangue de um hematoma.

Os Tipos de Hematomas Intracranianos

Hematomas epidurais: que se formam entre o crânio e a camada externa (dura-máter) de tecido que cobre o cérebro (meninges);

Hematomas subdurais: que se formam entre a camada externa e a camada média (aracnoide-máter);

Hematomas intracerebrais: que se formam no cérebro.

Nos indivíduos que estão utilizando aspirina ou anticoagulantes (os quais aumentam o risco de sangramento), sobretudo os indivíduos idosos, é maior o risco de aparecimento de um hematoma, até mesmo depois de um traumatismo craniano leve. Os hematomas intracerebrais e as hemorragias subaracnoideas podem também resultar de acidentes vasculares cerebrais.

A maior parte dos hematomas epidurais e intracerebrais e vários hematomas subdurais desenvolvem-se rapidamente e provocam o aparecimento de sintomas no prazo de alguns minutos. Os hematomas grandes comprimem o cérebro e podem provocar edema e herniação nele. A herniação pode causar perda de consciência, coma, paralisia em um ou nos dois lados do corpo, dificuldade em respirar, desaceleração do coração e até mesmo morte.

Alguns hematomas, particularmente os hematomas subdurais, podem se desenvolver lentamente e causar confusão e perda de memória graduais, especialmente em pessoas idosas. Estes sintomas são semelhantes aos sintomas da demência. A pessoa pode não se recordar do traumatismo craniano.

O Tratamento

Por vezes, os hematomas subdurais pequenos nos adultos não necessitam de tratamento, visto que o sangue é absorvido por si mesmo. Se um hematoma subdural é grande e causa sintomas como dores de cabeça persistentes, sonolência, confusão, alterações da memória e paralisia no lado oposto do corpo, os médicos o drenam cirurgicamente, fazendo, por vezes, um pequeno orifício no crânio. Contudo, por vezes é necessário abrir um orifício maior no crânio, por exemplo quando o sangramento ocorreu muito recentemente, quando o sangue é demasiado espesso para ser drenado por um orifício pequeno.

Durante a intervenção cirúrgica, um dreno é introduzido e deixado no local durante vários dias, visto que os hematomas subdurais podem reaparecer. O indivíduo é monitorado cuidadosamente com o objetivo de detectar o aparecimento de reincidências. Nas crianças mais novas, o médico pode drenar o hematoma por razões estéticas se não por qualquer outro motivo.

Apenas cerca de 50% dos indivíduos que são tratados devido a um hematoma subdural agudo de grande tamanho sobrevivem. As pessoas tratadas devido um hematoma subdural crônico geralmente melhoram ou não pioram.

Veja também:

Escala de Hunt e Hess

Anúncios