Gestor na Enfermagem: Que tipo é o seu? Qual você se encaixa?

chefelider.png

Muitos enfermeiros assumem cargos de chefia por estarem tecnicamente bem qualificados. No entanto, para serem bem sucedidos é necessário que aprendam a liderar pessoas. James Hunter autor do Best-seller O Monge e o Executivo, diz: “Você pode até gerenciar a si mesmo. Mas você não gerenciar seres humanos. Você gerencia coisas e lidera pessoas”.

Para ser bem-sucedido e liderar na era da informação requer muito mais do que um supervisor durão. O crescimento frenético do mercado tem obrigado as instituições a promoverem profissionais despreparados para cargos de chefia nos hospitais.

As instituições estão carentes de verdadeiros líderes de equipe. E a explicação para isso é que para liderar não basta apenas ter conhecimento técnico, é preciso saber liderar pessoas, que diferentemente de máquinas, têm sentimentos.
Como em qualquer segmento, com o decorrer do tempo o papel do Enfermeiro sofreu mudanças. Hoje o enfermeiro não é mais um realizador do tipo que dizia “quer bem feito faça você mesmo”, passou a ser um catalisador.

Ele precisa saber motivar as pessoas a sua volta para que elas desejem realizar as tarefas que ele precisa que façam.

No passado era comum os líderes temerem ensinar tudo o que sabiam, com receio que seus liderados pudessem de alguma maneira tomar o seu lugar. Assim, ensinavam somente o básico ou pouco mais, deixando sempre alguma coisa de fora. Este tipo de comportamento não tem mais lugar no cenário atual. Longe de reprimir seus colaboradores, o enfermeiro precisa ajudá-los a gerarem resultados e isto envolve dar espaço para que eles sejam notados e brilhem.

Um líder formador de novos líderes. Uma boa condução de equipe de enfermagem também pede um bom ambiente de trabalho. A postura do supervisor influi muito em situações de tensão. A equipe de enfermagem já possui desafios e situações estressantes suficientes, não sendo necessário, portanto, criar mais dificuldade.

O Enfermeiro precisa, antes de controlar a equipe, controlar a si mesmo. Para liderar de modo eficaz é preciso entender que nem todas as pessoas se motivam com desafios permanentes, mas a maioria delas se sente motivada se lhes forem apresentados os significados desses desafios.

Outro fator importante observado nos enfermeiros bem sucedidos é que eles aprendem a lidar muito bem com o poder inerente ao seu cargo, sabem por experiência que o poder da liderança está ligado à capacidade de estabelecer objetivos comuns com seus colaboradores. Sabem que o poder formal do cargo de liderança pode gerar obediência, mas o comprometimento precisa ser conquistado, granjeado dia a dia.

Chefes destroem equipes e fazem com que profissionais talentosos percam a motivação. Muitos profissionais são excelentes em relacionar-se com a equipe, mas ao assumirem cargos de supervisão ficam enfunados de orgulho, alguns se tornam egocêntricos. Tudo que eles fazem é o melhor, apenas a opinião deles é a correta. Não valorizam a equipe mesmo quando eles esforçam demais. Isto desmotiva e faz com que os profissionais insatisfeitos busquem novas perspectivas, porque não aguentam mais o ambiente de trabalho.

Para o enfermeiro ser bem sucedido em liderar sua equipe é preciso:

– Gostar de pessoas;
– Ter controle emocional;
– Saber trabalhar sobre pressão e em crises;
– Estabelecer prioridades para a equipe;
– Ser uma pessoa organizada;
– Saber trabalhar em equipe;
Mas qualquer que seja a pessoa ou a geração com a qual você irá se relacionar, é essencial que você se lembre de que não existe um estilo de liderança ideal e é preciso conhecer as características pessoais ou do grupo que você lidera para adotar o estilo adequado para aquele momento específico.

Liderar é ajudar as pessoas a obterem sucesso naquilo que elas fazem. Para o enfermeiro liderar eficazmente é preciso saber delegar, apoiar, acompanhar e ser um servidor. Portanto, dê a oportunidade de crescimento a sua equipe, delegue certo. Defina com todos quais são as metas a serem alcançadas e dê o foco ao seu time de trabalho, pois uma equipe apática e sem produtividade pode ser um sinal de uma liderança que não sabe delegar na direção do sucesso.

Fonte: Instituto Brasileiro de Enfermagem

Anúncios