Farmacologia: Antiarrítmicos

antiarritmicos.png

As fibras cardíacas tem, em sua maioria, a capacidade de se contraírem ritmicamente, resultando no funcionamento da bomba cardíaca, pois o “marcapasso” conhecido também como Nodo Sino-Atrial, no átrio direito, gera diminutos impulsos elétricos no músculo adjacente, determinando a contração dos átrios e bombeando o sangue para dentro dos ventrículos. Qualquer desvio da ordenação sequencial normal é considerado um desvio do ritmo e chamado arritmia.

Os Antiarrítmicos são constituídos por quatro grupos de fármacos utilizados no tratamento das arritmias do coração.

A arritmia cardíaca é uma doença que, se não tratada, leva à a morte. Os batimentos irregulares produzem turbulência no sangue, que facilita a formação de trombos. Estes podem embolizar e provocar infartos coronários e AVCs.

Os antiarrítmicos funcionam inibindo a propagação de batimentos cardíacos imediatamente subsequentes, e diminuindo a taxa de contracção e excitabilidade cardíacas.

Classificação

Segundo a classificação de Vaughan Williams de 1970, a mais frequentemente utilizada hoje, distinguem-se quatro classes de antiarrítmicos:

Antiarrítmicos da classe I -A classe I consiste nos farmacos que bloqueiam os canais de sódio (Na+) nas membranas dos miócitos (células musculares cardíacas).
– Antiarrítmicos da classe II –É constituida por antagonistas adrenérgicos beta que atuam nos receptores cardíacos do sistema simpático, reduzindo a atividade cardíaca.
– Antiarrítmicos da classe III –São fármacos que bloqueiam os canais de potássio (K+) membranares dos miócitos, prolongando o potencial de ação e portanto a contração dos miócitos condutores.
– Antiarrítmicos da classe IV– Bloqueiam os canais de cálcio (Ca2+) das membranas dos miócitos.

Apresentações:

– Quinidina (Quínicardine) – cpr. 200mg.
– Procainamida (Ritmonorm) – cpr. 300mg
– Verapamil (Dilacoron) – amp. 2ml/5mg – cpr. 80mg – drg. lib. Contr. 120mg e 240mg
– Amiodarona (Ancoron) – amp. 150mg/3ml – cpr. 100mg e 200mg
– Lidocaina (Xylocaína) – fr.amp. 20mI sol. a 1 % e 2%
– Propranolol (Inderal) – cpr. 10mg; 40mg e 80mg

Importante – As lesões adversas da lidocaína afetam principalmente o SNC e incluem sonolência, desorientação, confusão mental, perturbações visuais, raramente, convulsões e coma.

Cuidados de Enfermagem referentes aos Antiarrítmicos:

– Controle de pulso e pressão antes e após a administração do medicamento. A pressão arterial deve ser controlada com o paciente na posição deitada e em pé, devido à hipotensão postural.
– Observar as reações colaterais e sinais de intoxicação. Comunicar o medica ou o enfermeiro; aplicar medicamento sintomático, conforme a prescrição.
– A administração de antiarrítmicos por via parenteral deve ser feita com o paciente monitorizado. Durante o uso de antiarrítmicos, e feito controle e avaliação, através do eletrocardiograma.
– Quando a droga for administrada por meio de infusão venosa, devem-se usar microgotas, com controle rigoroso do gotejamento;
– Observar quadro de confusão mental; se necessário, colocar o paciente em cama com grades e restringi-lo ao leito;
– Deixar o material de ressuscitação em local acessível.

Anúncios