Eventos do Eletrocardiograma e as Arritmias Cardíacas

eventosecg.pngAinda um assunto um pouco complexo para alguns profissionais técnicos em uma UTI, sendo fundamental aprender pelo menos o básico de uma interpretação dos traçados eletrocardiográficos, para poder distinguir certas arritmias precoces. É de extrema importância, que o profissional técnico saiba manusear corretamente um aparelho para realização do ECG.
 
O quê é Arritmia cardíaca?
 
As Arritmias cardíacas são alterações elétricas que provocam modificações no ritmo do coração. É como se o coração perdesse o compasso e tornasse fora do ritmo, arrítmico, sem ritmo. Arritmia é, portanto, uma doença que afeta o Ritmo de Batimentos do Coração!
 
O eletrocardiograma (ECG) é um exame que verifica a existência de problemas com a atividade elétrica do coração. É um procedimento rápido, simples e indolor, no qual os impulsos elétricos do coração são amplificados e registrados em um pedaço de papel.
 
Cada batida do seu coração acontece por conta de um impulso elétrico naturalmente gerado por células especiais do seu coração. O eletrocardiograma registra esses impulsos elétricos e mostra se o ritmo e intensidade destes estão dentro do normal. Geralmente, um ECG é pedido se houver suspeita de uma doença cardíaca ou como parte de um exame físico de rotina para a maioria das admissões feitas em um ambiente de UTI.
 
O traçado do eletrocardiograma é composto basicamente por 5 elementos: onda P, intervalo PR, complexo QRS, segmento ST e onda T.
 
-A onda P é o traçado que corresponde à despolarização dos átrios (contração dos átrios).
-O intervalo PR é o tempo entre o início da despolarização dos átrios e dos ventrículos.
-O complexo QRS é a despolarização dos ventrículos (contração dos ventrículos).
-O segmento ST é o tempo entre o fim da despolarização e o início da repolarização dos ventrículos.
-A onda T é a repolarização dos ventrículos, que passam a ficar aptos para nova contração.
 
Cada batimento cardíaco é composto por uma onda P, um complexo QRS e uma onda T.
 
RITMOS CARDÍACOS:
 
Ritmo Sinusal: é o Ritmo normal do Coração.
 
Ritmo Juncional: o ritmo cardíaco, ditado pelo nó atrioventricular (estação intermediária do sistema elétrico do coração).
 
Ritmo Juncional Bradicárdico: se caracteriza por um ritmo lento em torno de 50 bpm em média, em que não se observa a onda P positiva precedendo o complexo ORS, com intervalo P-R definido.
 
Ritmo Idioventricular: é uma arritmia cardíaca cujo estímulo elétrico cardíaco origina-se em algum ponto localizado nos ventrículos. Geralmente o ritmo idioventricular cursa com bloqueio átrio-ventricular, assim os estímulos elétricos de origem sinusal ou nodal não podem atingir os ventrículos.
 
Taquicardia Ventricular: consiste em uma taquicardia originada em um dos ventrículos do coração. Nela o ritmo ventricular é de pelo menos 120 por minuto, estando geralmente acima dos 150 por minuto.
 
Fibrilação Ventricular: é a contração incoordenada do miocárdio em consequência da atividade caótica de diferentes grupos de fibras miocárdias, resultando na ineficiência total do coração em manter um rendimento de volume sanguíneo adequado.
 
Taquicardia Supraventricular: é um distúrbio do ritmo cardíaco caracterizado por uma pulsação rápida no nó atrioventricular ou no átrio cardíaco. Estas arritmias são iniciadas ou mantidas no nó atrioventricular ou no átrio cardíaco, diferentemente da taquicardia ventricular, que geralmente são fatais.
 
Assistolia: ausência de ritmo cardíaco, nesse ritmo há interrupção da atividade elétrica do músculo cardíaco.
 
Fibrilação Atrial: é um tipo comum de arritmia cardíaca, no qual o ritmo dos batimentos cardíacos é, em geral, rápido e irregular.
 
Torsades de Pointes: expressão francesa que, literalmente, significa “torções das pontas”, é um tipo de taquicardia ventricular polimórfica ( com várias formas ) que está associada ao prolongamento do intervalo QT ( um intervalo do eletrocardiograma ) de forma adquirida ou de origem congênita, diferentemente da taquicardia ventricular polimórfica que ocorre na fase aguda do infarto do miocárdio, quando o intervalo QT não está prolongado.
 
Para aprender mais sobre as arritmias cardíacas, confira em meu post do blog : https://goo.gl/k7nWPN
Anúncios