Dermatite Ocre

dermatiteocre.png

A Dermatite Ocre não é uma doença de pele, e sim uma pigmentação acastanhada que aparece na pele, em regiões como pernas e tornozelos, devido a complicações das varizes. Este problema surge em decorrência da má circulação sanguínea, que provoca a migração de elementos do sangue para a pele. A presença do ferro, derivado da hemoglobina do sangue, dá um aspecto escuro e enferrujado à pele. Esta complicação é chamada de estase sanguínea.

A causa da dermatite ocre está relacionada diretamente à insuficiência venosa crônica decorrente do mau funcionamento do sistema venoso superficial, profundo ou ambos. Esse mau funcionamento, leva a um trabalho ineficiente das válvulas venosas que gera obstrução do fluxo sanguíneo e interfere no ‘trabalho’ do sistema venoso. Essa disfunção do sistema venoso resulta numa hipertensão, onde o músculo da panturrilha é sobrecarregado devido a um refluxo sanguíneo.

Com a insuficiência valvular, o sangue acumula-se nas veias formando varizes. Essa hipertensão gerada faz com que os componentes do sangue infiltrem nos tecidos gerando edema, o que prejudica o abastecimento de oxigênio e nutrientes. Com isso, a pele ganha uma coloração acastanhada e as pernas e os pés edemaciam.

Caso não tratado, este quadro clínico se agrava, levando a uma atrofia da pele, tornando-a seca e frágil. Neste estado, facilmente se instalam lesões que cicatrizam com mais dificuldade.

TRATAMENTO

O curativo é uma das principais ferramentas da equipe de enfermagem para o cuidado de pacientes diagnosticados com dermatite ocre e que não são tratados, decorrendo o surgimento de úlceras na pele. Os principais objetivos dos curativos são manter a ferida limpa, úmida e coberta para promover o processo de cicatrização.

Para garantir essas condições é preciso estar atento a:

-Utilização de materiais estéreis, que sejam impermeáveis à água e outros fluídos, mas que permita as trocas gasosas e seja capaz de absorver as secreções da ferida;
-Promover o desbridamento;
-Limitar o movimento dos tecidos ao redor da lesão;
-Permitir a remoção sem causar traumas;
-Tratar as cavidades existentes;
-Aliviar a dor.

Os curativos que servem como processo de cicatrização utilizam Ácidos Graxos Essenciais (AGE), Trigliceril de Cadeia Média (TCM), Papaína, Óleo Mineral, Bota de Unna,  Sulfadiazina de Prata, Filme Transparente, entre outros.

Por ser um tratamento longo, requer muita paciência do usuário o que dificulta a adesão, contribuindo para a cronicidade destas lesões. Sendo assim, se refaz a importância do profissional de saúde para dar continuidade ao processo de “ cura” dessa patologia.

A IMPORTÂNCIA DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTO E ASSISTÊNCIA

O cuidado para este tipo de paciente, que tem este tipo de feridas que requer um tratamento a longo prazo, atenção, disciplina, dedicação dos profissionais e eficiência para com os medicamentos, não se resume apenas em o técnico de enfermagem ou enfermeiro realizar uma visita domiciliar (VD) e fazer o curativo. Para haver uma evolução no tratamento, o cuidado precisa ser humanizado, ou seja, o envolvimento e comprometimento da família e dos profissionais da unidade básica, envolvendo médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, agentes de saúde, nutricionista, psicólogo, assistente social de maneira objetiva e organizada etc.

Também faz parte dos cuidados de enfermagem, além de proporcionar conforto, oferecer orientações, tais como: colocar as pernas ou pés para cima, o repouso e utilizar meias elásticas, não ficar muito tempo em pé, cuidar da alimentação, orientar sobre como realizar o curativo e ou, se necessário, capacitar e supervisionar um cuidador responsável.

Além dos cuidados clínicos, não podem ser descartados o vínculo com paciente e familiares, acompanhamento da ferida, observação quanto a evolução das complicações da insuficiência venosa e a realização de registros detalhados. O cuidado integral deve estar enfocado na realização do trabalho de toda a equipe e, principalmente, do técnico em enfermagem.

Para que o tratamento seja eficaz, precisa haver comprometimento tanto da família, quanto da equipe de saúde. Para realizar o plano de ação, precisa haver uma reunião de uma equipe multiprofissional e montar uma estratégia para assegurar que seja garantido uma assistência de qualidade da equipe de saúde para com o paciente e a família, oferecendo suporte material (na medida do disponível na rede de atenção à saúde), medicamentos, ou até de serviços de profissionais como assistente social e psicólogo etc..

Quanto ao enfermeiro, cabe a ele ter sensibilidade e criar uma estratégia para que, quando houver pacientes com feridas com tratamento a longo prazo, disponibilize regularmente um técnico de enfermagem para realizar o trabalho sem que seja prejudicial à demanda de trabalho de uma instituição. Enfermeiros e técnicos sensibilizados para o cuidado integral podem promover cuidados qualificados, consideradas as demandas do serviço. Nesta interação, cabem ao enfermeiro as atividades gerenciais do serviço de enfermagem.

Anúncios