Cateter Central de Inserção Periférica (PICC)

O PICC, ou Cateter Central de Inserção Periférica, é um dispositivo de acesso vascular inserido perifericamente, tendo a ponta localizada em nível central, na altura do terço distal da veia cava, podendo possuir lúmen único ou duplo. É constituído de poliuretano ou silicone, sendo os de silicone mais flexíveis e em sua maioria inertes, causando menor irritação à parede dos vasos.

FINALIDADE
Promover a terapia intravenosa por tempo prolongado e de forma segura, garantindo a preservação da rede venosa periférica, diminuição do estresse, dor e desconforto gerado por múltiplas venopunções.
INDICAÇÕES
– Necessidade de acesso venoso por tempo prolongado (além de 6 dias), avaliando previamente se há possibilidade de utilizar-se da terapêutica com acesso venoso periférico.
– Administração de soluções hipertônicas e/ou vesicantes (Nutrição Parenteral Total com osmolaridade maior que 600 mOsmol/L e soro glicosado com concentração superior a 12,5%, entre outros).
 
CONTRAINDICAÇÕES RELATIVAS
– Rede venosa periférica prejudicada.
– Recém-nascido com menos de 48h de vida.
– Policitemia.
– Lesões cutâneas no lugar da inserção do cateter.
– Retorno venoso prejudicado.
– Administração de grandes volumes em bolus e sob pressão (risco de rompimento do cateter).
– Situações de emergência.
– Trombose venosa.
– Malformação congênita na rede venosa
INSERÇÃO DO CATETER COMPETE AO ENFERMEIRO
Através da Resolução do COFEN 258/2001, reconhece que a implantação do cateter de PICC como competência do Enfermeiro, desde que tenha recebido treinamento adequado com cursos de capacitação.
CUIDADOS DE ENFERMAGEM
* O curativo no local da inserção deve ser feito com gazes embebidas em soro fisiológico seguido de clorexidina alcoólico 2% e fixação com película transparente.
* A troca do curativo deve ser realizada a cada sete dias ou antes desse período, se apresentar sangramento ou sujidade.
* Antes de trocar o curativo verificar se há eritema, exsudato ou edema. Apalpar delicadamente em torno do local da inserção para sentir se a área está sensível.
* No banho, proteger o curativo para não molhar.
* Se necessário o uso de conectores, estes devem ser trocados a cada 72 horas.
* Circunferência do braço: deverá ser verificada diariamente, 5cm acima da inserção do cateter. Se houver aumento da circunferência o médico deverá ser comunicado.
* Salinização: utilizar 10ml de solução fisiológica 0,9% antes e após o término de infusões de medicamentos;
* Heparinização: deve ser realizada sempre que o cateter não estiver em uso e repetida a cada 5 dias. A solução recomendada é de 9,8ml de água destilada para 0,2ml de Heparina®, devendo ser injetados 1,5ml da solução. Antes de utilizar o cateter ou na troca da solução de Heparina®, deve-se aspirar e desprezar a solução anterior e lavar o cateter com 10ml de solução fisiológica 0,9%.
* Não utilizar seringa menor que 10ml para infusão no cateter;
* Não tracionar ou reintroduzir o cateter;
* Nunca aferir pressão arterial ou garrotear o membro onde está inserido o PICC;
* Não utilizar adesivos tipo Micropore® ou similares, em torno do corpo do cateter;
* Nunca usar o cateter para administrações de volumes em alta pressão, pois pode ocorrer o seu rompimento;
* A desobstrução e retirada, se necessário, deverão ser feitas por enfermeiro capacitado na passagem do cateter, devendo sempre ser comunicada ao médico a ocorrência.
PICC
Anúncios