As Soluções Parenterais de Pequeno Volume (SPPV) e a Padronização de Cores para a gravação nas embalagens primárias

As Soluções Parenterais de Pequeno Volume (SPPV) e a Padronização de Cores para a gravação nas embalagens primárias

As Soluções Parenterais de Pequeno Volume (SPPV), são medicamentos produzidos e acondicionados em recipientes menores que 100 ml, para a administração de via parenteral, como por exemplo, ampolas, frasco ampolas, sejam ela de diluentes, e medicações específicas.

Como a maioria dos fabricantes de medicamentos não produz produtos em embalagens que atendam às necessidades do mercado, as farmácias hospitalares tiveram que desenvolver uma verdadeira linha de produção industrial.

A maioria dos medicamentos que chega à unidade de assistência não está adequada para ser distribuída e administrada de maneira segura. Isso acontece porque cerca de 70% do que a indústria farmacêutica produz é voltado para o varejo, não para a realidade hospitalar.

A ANVISA tomou providências sugerindo algumas ações, como a RDC 71/2009, que em um de seus capítulos e anexos sugere a implementação de etiquetas coloridas, nas quais as cores estão relacionadas à classe terapêutica do produto. Embora interessante e viável, essa conduta não é obrigatória, mas alguns fabricantes usam essa medida.

Como são identificados as classes terapêuticas?

Os princípios ativos da mesma classe são descritos em linha contínua da mesma cor, e em seus anéis de rupturas as respectivas cores de identificação, como por exemplo de alguns principais grupos de psicotrópicos:

– Os benzodiazepínicos em cores identificada como laranja.

– E os Opióides em cores identificada como azul.

– E os Relaxantes Musculares em cores identificada como vermelha.

Já o medicamento ANTAGONISTA tem o princípio ativo descrito da mesma cor, porém o que diferencia é a LINHA TRACEJADA, ou seja, o princípio ativo da cor tracejada e diagonal, CORTA o EFEITO do princípio ativo em LINHA CONTÍNUA da mesma cor. No Anel de Ruptura é recomendado que utilize-se de uma cor branca e outra com a respectiva cor da classe terapêutica.

As embalagens de SPPV que não permitam a identificação por anéis devem ser diferenciados pelos critérios de cores de impressão no rótulo e colocação de faixa com largura mínima de 3mm na parte superior do rótulo, com a cor correspondente a do anel de ruptura, definida em instrução normativa específica.

O Sistema Facilitadores de Abertura de Ampolas

Foram desenvolvidos sistemas facilitadores da abertura de ampolas na tentativa de se diminuírem os incidentes perfurocortantes e as contaminações dos conteúdos.

Destacam-se o “Anel de Ruptura” (VIBRAC) e o “OPC(One Point Cut ou Único Ponto de Abertura).

No Brasil, o sistema mais comum é o VIBRAC. 

Esse mecanismo pode ser encontrado em 85% das ampolas. Implica a aplicação de um anel de tinta após o processo de cura/têmpera da fabricação de ampolas.

Conhecendo as Classes Terapêuticas de acordo com as Cores de Identificação

Cores padronizadas para faixa no Anel de Ruptura e no Rótulo

Classe Terapêutica Princípio(s) ativo(s) – (DCB) Cor da faixa
anestésicos gerais cloridrato de cetamina (01937)
etomidato (03731)
metoexital (05864)
propofol (07474)
tiamilal (08508)
tiopental sódico (08638)
amarelo 109
ansiolíticos diazepam (02904)
lorazepam (05417)
midazolam (05937)
oxazepam (06685)
laranja 151
parassimpaticomimético metilsulfato de neostigmina
(06288)
vermelho 032C e branco
(linhas diagonais)
analgésicos opióides buprenorfina (01555)
citrato de fentanila (04005)
citrato de sufentanila (08085)
cloridrato de alfentanila (00535)
cloridrato de nalbufina (06203)
cloridrato de petidina (07008)
cloridrato de remifentanila ( 07664)
tramadol (08806)
Sulfato (06114) ou cloridrato (06095) de
morfina
azul 297
antipsicóticos cloridrato de clorpromazina (02503)
decanoato de haloperidol (04591)
droperidol (03246)
salmão 156
analgésico opióide e
antipsicótico
citrato de fentanila + droperidol
(associação)
azul 297 + salmão 156
anestésicos locais cloridrato de bupivacaína (01552)
cloridrato de lidocaína (05314)
cloridrato de prilocaína (07364)
cloridrato de procaína (07383)
cloridrato de ropivacaína (07805)
cinza 401
anestésicos locais – em associação com epinefrina violeta 256
anestésicos locais – anestésicos hiperbáricos contendo glicose
7,5%
azul 285
Classe Terapêutica Princípio(s) ativo(s) – (DCB) Cor da faixa
relaxantes musculares de
ação periférica
besilato de atracúrio (00926)
besilato de cisatracúrio (01187)
brometo de pancurônio (01427)
brometo de rapacurônio (01442)
brometo de rocurônio (07774)
brometo de vecurônio (01456)
cloreto de alcurônio (02359)
cloreto de mivacúrio (06027)
cloreto de suxametônio (08243)
trietiodeto galamina (08886)
vermelho 032C
estimulantes cardíacos
não glicosídicos
cloridrato de dobutamina (03164)
cloridrato de dopamina (03187)
cloridrato de etilefrina (03679)
cloridrato de fenilefrina (03926)
epinefrina (03441)
hemitartarato de metaraminol (05745)
norepinefrina (06486)
sulfato de efedrina (03311)
violeta 256
antiipertensivos Clonidina (02302)
Diazóxido (02906)
Fentolamina (04015)
Nitroprusseto de Sódio (06442)
Nitroglicerina (06440)
Cansilato de trimetafana (01684)
violeta 256 e branco
(linhas diagonais)
medicamentos para
transtornos funcionais do
intestino
brometo de glicopirrônio (01408)
sulfato de atropina (00935)
verde 367
medicamentos para
transtornos funcionais do
intestino
sulfato de atropina 0,25 mg branco
medicamentos para
transtornos funcionais do
intestino
sulfato de atropina 0,50 mg preto processo Black C
medicamentos para
transtornos funcionais do
intestino
sulfato de atropina1,00 mg vermelho 1795C
antagonistas Flumazenil (04134) laranja 151 e branco
(linhas diagonais)
antagonistas cloridrato de nalorfina (06209) azul 297 e branco
(linhas diagonais)
antagonistas cloridrato de naloxona (06211) azul 297 e branco
(linhas diagonais)

Saiba mais em nosso canal YouTube!

Comentários
Anúncios