A Vancomicina e a Vancocinemia

Vancomicina

A Vancomicina é um antibiótico glicopeptídico que, vem sendo utilizado no tratamento de infecções causadas por microrganismos gram-positivos, especialmente em cepas de Staphylococcus Aureus resistente a meticilina (MRSA), Staphylococcus coagulase negativa e Enterococcus faecium1,2,3,4,5.

Desenvolvida em 1950, a vancomicina era originalmente prescrita principalmente quando os organismos eram resistentes à penicilina ou quando o indivíduo era alérgico à penicilina.

Conheça as outras Indicações

A Vancomicina é indicada também para o tratamento de infecções causadas por outros microrganismos Gram-positivos suscetíveis à Vancomicina; pacientes que não podem receber ou não responderam a outras drogas, incluindo penicilinas ou cefalosporinas, e para o tratamento de infecções graves causadas por microrganismos suscetíveis à Vancomicina e resistentes a outros antimicrobianos.

Sua efetividade tem sido demonstrada no tratamento de septicemia, infecções ósseas, infecções do trato respiratório inferior e infecções na pele e estruturas da pele.

A Importância do Monitoramento da Dose da Vancomicina no Sangue

Por se tratar de um antibiótico que pode causar grandes efeitos colaterais, é realizado um exame específico para o controle de dosagem de vancomicina no sangue: A Vancocinemia.

É importante monitorar o nível de vancomicina, pois sua efetividade depende da manutenção desses níveis em uma concentração mínima durante o tratamento.

Além disso, devem ser evitadas concentrações excessivas, porque níveis elevados provocam graves efeitos colaterais, especificamente dano à audição (ototoxicidade) e rins (nefrotoxicidade).

A quantidade de vancomicina administrada por dose depende de diversos fatores, incluindo a função renal, outros fármacos (medicamentos) nefrotóxicos que o indivíduo possa estar tomando, idade e peso.

A atividade renal diminuída pode evitar a eliminação eficiente de vancomicina do organismo do indivíduo, o que resulta em aumento da concentração no sangue.

É pouco provável que o tratamento seja eficiente se for administrada uma dose baixa demais, e não será possível manter no sangue uma concentração mínima necessária.

O exame de vancomicina pode ser usado para monitorar a quantidade de fármaco no sangue, para que ele permaneça nas concentrações terapêuticas – ou seja, adequadas, mas não excessivas.

Há Hospitais que implementam o Protocolo de Vancocinemia, onde os objetivos do protocolo é corrigir a posologia da vancomicina de acordo com o seu nível sérico, com reajuste pela enfermagem. Onde é feito:

  • O Controle de coleta de sangue para a Vancocinemia em até 2 horas antes do antibiótico ser administrado;
  • Padronização na correção da vancomicina através dos resultados obtidos pelo exame de sangue para a vancocinemia;
  • E a facilidade do ajuste pelo enfermeiro na prescrição médica para que seja administrado a dose precisa da vancomicina ao paciente.

Há valores padrões para esta correção.

Geralmente, é padronizado o nível sérico de vancomicina na faixa de 15-20 µg/mL, isto é, podendo variar conforme cada protocolo disponibilizado nas instituições.

Em pacientes cujo alvo não é alcançado aumenta-se a freqüência da administração ou da dose, em pacientes com vancocinemia acima de 20 mcg/dl a dose deve ser diminuída pela metade, nos pacientes com vancocinemia maior do que 30 mcg/dl o antibiótico deve ser suspenso até o próximo resultado.

Para consultar um Protocolo de Vancocinemia, recomendamos a leitura do Protocolo estabelecido pelo Hospital Albert Einsteinonde é entendido de uma forma clara e objetiva os critérios para o uso do protocolo.

Veja também:

Classes de Antibióticos

Antibióticos e os Cuidados de Enfermagem

Acinetobacter

Pseudomonas

O Terror dos Hospitais: Os Microrganismos Resistentes e seu tempo de sobrevida no ambiente

Anúncios