A UTI Neonatal

uti-pediatrica_03.jpgA unidade de terapia intensiva neonatal concentra os principais recursos – humanos e materiais – necessários para dar suporte às funções vitais do bebê prematuro.

Nesta unidade, os bebês são assistidos por uma equipe de especialistas (médicos, enfermeiras, nutricionistas, psicólogos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, etc.) e contam com equipamentos que lhe garantirão as funções vitais nas primeiras horas e dias de vida.

Os Profissionais da UTI Neo

Conheça os “anjos” que dedicam suas vidas à cuidar de nossos pequenos na UTI:

Neonatologista

Quando nasce um bebê, prematuro ou não, um das primeiras pessoas a acolhê-lo é o pediatra neonatologista que está presente na sala de parto. É ele quem vai garantir os primeiros cuidados e avaliar as condições de saúde do recém-nascido.

Pois então, a Neonatologia (neo = novo; nato = nascimento; logia = estudo) é o ramo da pediatria que cuida de bebês desde o nascimento até 28 dias de vida, quando estes deixam de ser chamados de recém-nascidos (ou neonatos) e passam a ser lactentes.

Em toda UTI Neonatal há um neonatologista de plantão. Seu prematurinho provavelmente tem (ou teve) também um médico assistente, que é aquele profissional considerado “responsável” pelo bebê internado e que troca informações continuamente com os plantonistas do hospital.

Muitos desses profissionais dedicam-se exclusivamente à neonatologia, ou seja: quando o bebê que eles acompanham sai da UTI (tem alta), ele é encaminhado para um pediatra. Porém, alguns neonatologistas também dedicam suas vidas ao consultório de pediatria e continuam acompanhando seus pacientinhos de UTI por toda infância (se você tem um pequeno internado na Neo, converse com seu médico e esclareça essa questão, para não ser pego de surpresa).

Pediatra

É o profissional que vai cuidar da saúde do seu bebê quando ele sair da UTi e por toda sua infância, até mesmo na adolescência. Por isso, procure um pediatra experiente e que lhe transmita total confiança. Peça indicações na UTI ou converse com o neonatologista sobre isso.

Enfermeiros e técnicos em enfermagem

A equipe da UTI é composta por enfermeiros e técnicos em enfermagem. Os enfermeiros têm curso superior e trabalham no atendimento especializado ao bebê, além de orientar a equipe no dia-a-dia. Os técnicos têm formação de nível médio e são os profissionais que estão ao lado do bebê 100% do tempo: checam sinais vitais, trocam fraldas, dão banho, alimentam, etc. Conhecem o prematuro como ninguém!

Nutricionista

É o profissional de nível superior que cuida da dieta do prematuro. Atua em conjunto com a equipe multidisciplinar, definindo qual a melhor opção de alimentação para o bebê em termos de volume, diluição, frequência, etc. Tambem é habilitado a orientar o processo de amamentação na UTI.

Fisioterapeuta

Profissional de nível superior que estimula a parte motora e respiratória do prematurinho, diminuindo as sequelas da prematuridade e o atraso que ele pode apresentar em relação aos bebês a termo.

Psicólogo

Profissional de nível superior que promove a humanização do atendimento na UTI, cuidando da saúde emocional das famílias dos bebês prematuros e garantindo o cuidado com a manutenção do vínculo mãe-bebê. Atua também juntamente à equipe multidisciplinar, dando apoio psicológico à mesma e facilitando suas relações e a comunicação com os familiares.

Fonoaudiólogo

Profissional de nível superior que trabalha principalmente com a estimulação da oral do bebê, ensinando a ele como coordenar sucção-deglutição-respiração, a fazer a pega correta e a sugar o seio (ou a mamadeira) efetivamente. Além disso, é ele o responsável pela avaliação dos resultados do indispensável teste da orelhinha no bebê prematuro.

Cardiologista

Médico especializado no coraçãozinho do prematuro. Seja por problemas cardíacos congênitos ou pelo não fechamento do canal arterial (PCA), é o cardiopediatra que vai conduzir o tratamento do bebê da forma mais eficaz.

Oftalmologista

Profissional especialista na visão do bebê. Como os prematuros correm maior risco para desenvolver retinopatia da prematuridade, eles serão avaliados pelo oftalmologista e, se necessário, será feito o acompanhamento durante a internação após a alta.

Neurologista Pediátrico

É um pediatra especializado na saúde d sistema nervoso. Bebês prematuros tendem a ter hemorragias intracranianas que podem ou não lesionar partes do cérebro. É ele quem vai acompanhar o correto desenvolvimento neurológico do seu prematuro.

Pneumologista Pediátrico

É o pediatra especilizado em cuidar da parte respiratória do bebê. Por nascerem com os pulmões ainda em formação, os prematurinhos tendem a desenvolver problemas e sequelas respiratórias que devem ser acompanhados de perto por este profissional. Displasia broncopulmonar, rinite, sinusite e asma são exemplos dessas complicações.

Gastroenterologista Pediátrico

É o médico que cuida da saúde digestiva do bebê. Alguns prematuros podem desenvolver problemas gastrointestinais decorrentes da prematuridade e é o gastropediatra que vai orientar a melhor alternativa de tratamento.

Equipamentos utilizados na UTI Neo

Entenda o funcionamento dos principais equipamentos da UTI Neonatal:

Incubadora

Tem por função substituir o útero materno, mantendo um ambiente quente e regulando a temperatura do bebê. Proporciona a umidade necessária ao equilíbrio do bebê e protege-o das infecções e do barulho.

Monitores de frequência cardíaca e respiratória

Através de fios que terminam em pequenos adesivos que são colocados no peito e no lado esquerdo da barriga do bebê, informa como é o ritmo cardíaco e respiratório do bebê.

Oxímetro

Através de uma pequena tira com uma luzinha vermelha colocada no braço ou no pé do bebê, mede continuamente a oxigenação do sangue e permite regular a quantidade de oxigênio que ele precisa.

Catéteres centrais e periféricos

Pequenos tubos inseridos na veia do bebê, os chamados catéteres, possibilitam a administração de soro e medicação que o bebê necessita nas primeiras horas e talvez dias. Este catéter pode ser periférico e estar colocado nos membros superiores, inferiores ou na cabeça. Já o cateter central pode ser colocado nos primeiros dias de vida numa das veias ou artéria do cordão umbilical ou pode ser colocado numa das veias dos braços, da região do pescoço, virilha e tórax. Os catéteres centrais (PICC) são de longa duração e como tal evitam que o bebê tenha que ser puncionado (picado) repetidamente.

Ventilador

Permite fazer vários tipos de ventilação, que vão desde a ventilação completa até uma pequena ajuda quando o bebê esquece de respirar. A ventilação é feita através de tubos que entram na incubadora e se ligam ao bebê através de um tubo endotraqueal que se encontra na boca ou no nariz e vai até a traquéia do bebê.

CPAP

Quando o bebê necessita apenas de uma pequena ajuda para respirar, utiliza-se um aparelho chamado CPAP, que através de pequenos tubos colocados no nariz e fixos a uma touca o ajudam a respirar. CPAP é a sigla para “Continuous Positive Airway Pressure”, que significa pressão positiva contínua nas vias aéreas.

Sonda gástrica

É um pequeno tubo que pode ser introduzido na boca (oro) ou no nariz (naso) e que vai até o estômago, servindo para verificar o conteúdo do estômago (resíduo gástrico) e, principalmente, para alimentar o bebê.

Mãe Canguru

images

O Método Mãe Canguru, também conhecido como “Cuidado Mãe Canguru” ou “Contato Pele a Pele”, tem sido proposto como uma alternativa ao cuidado neonatal convencional para bebês de baixo peso ao nascer.

Foi idealizado e implantado de forma pioneira por Edgar Rey Sanabria e Hector Martinez em 1979, no Instituto Materno-Infantil de Bogotá, Colômbia, e denominado “Mãe Canguru” devido à maneira pela qual as mães carregavam seus bebês após o nascimento, de forma semelhante aos marsupiais.

Era destinado a dar alta precoce para recém-nascidos de baixo peso frente a uma situação crítica de falta de incubadoras, infecções cruzadas, ausência de recursos tecnológicos, desmame precoce, altas taxas de mortalidadeneonatal e abandono materno.

Nascia então o “Método Canguru”. Essa assistência neonatal implica no contato pele-a-pele precoce entre a mãe e o recém-nascido de baixo peso, de forma crescente e pelo tempo que ambos entenderem ser prazeroso e suficiente, permitindo, dessa forma, uma maior participação dos pais no cuidado ao seu recém-nascido.

A posição canguru consiste em manter o recém-nascido de baixo peso ligeiramente vestido, na posição vertical, contra o peito do pai ou da mãe.

Só são considerados como “Método Canguru” os sistemas que permitem o contato precoce, realizado de maneira orientada, por livre escolha da família, de forma crescente, segura e acompanhado de suporte assistencial por uma equipe de saúde adequadamente treinada.

Vantagens do método:

  • aumenta o vínculo mãe-filho;
  • diminui o tempo de separação mãe-filho, evitando longos períodos sem estimulação sensorial;
  • estimula o aleitamento materno, favorecendo maior freqüência, precocidade e duração da amamentação;
  • proporciona maior competência e amplia a confiança dos pais no manuseio do seu filho de baixo peso, mesmo após a alta hospitalar;
  • favorece um controle térmico melhor;
  • reduz o número de recém-nascidos em unidades de cuidados intermediários devido à maior rotatividade de leitos;
  • proporciona um relacionamento melhor da família com a equipe de saúde;
  • favorece a diminuição da infecção hospitalar;
  • diminui a permanência hospitalar.

Os 10 mandamentos do método Mãe Canguru:

1 – O bebê DEVE ficar na POSIÇÃO CANGURU, ‘amarrado’ entre os seios da mãe, DIA E NOITE.

2 – A mãe PODE: comer e passear com o bebê. Quando a mãe for tomar banho ou usar o banheiro, o bebê pode ser colocado na cama. Neste momento, lembrar de LIGAR O AQUECEDOR DO QUARTO.

3 – A MAMÃE AQUECE O BEBÊ, com o seu corpo. O contato é direto da pele do bebê com a pele da mãe e a roupa só atrapalha. Então o bebê deve ficar somente com fraldas, meias e gorro.

4 – Roupas, mantas e cobertores protegem mas NÃO AQUECEM o bebê, que pode ficar frio (hipotermia), não engordar e ficar doente.

5 – O prematuro às vezes ‘esquece’ de respirar (apnéia). Quando está no canguru, a RESPIRAÇÃO DA MÃE ‘LEMBRA’ AO BEBÊ DE RESPIRAR durante todo o tempo.

6 – O prematuro ‘golfa’ muito e na POSIÇÃO CANGURU fica mais PROTEGIDO DE SE ENGASGAR com o vômito. Depois que o bebê mamar fique com ele na posição, sentada por meia hora.

7 – Quando o bebê for COLOCADO NA CAMA, não deve ficar diretamente sobre o colchão, use um travesseiro ou cobertor dobrado, para que ele fique elevado,‘QUASE SENTADO’. DEPOIS DE MAMAR, o bebê deve ficar DEITADO DE LADO apoiado em um rolinho ou travesseiro para não se virar, isto evita que ele se engasgue quando ‘golfar’.

8 – A mãe DEVE: dormir com o bebê ‘amarrado’ na posição canguru e dormir em posição ‘quase sentada’.

9 – O bebê NUNCA deve dormir na cama ao lado da mãe e NEM “solto” sobre a mãe. Os riscos de acidente são reais.

10 – O melhor ALIMENTO PARA O BEBÊ PREMATURO È O LEITE DE SUA PRÓPRIA MÃE. Este é um presente de “saúde” que SÓ VOCÊ pode dar ao seu bebê.

Humanização na UTI Neo

feiradesantana_rede-infantil_claudiamatarazzo.jpg

1. Dispor de uma sala de descanso para as mães com chá, água ou suco, torradas e biscoitos (especialmente em maternidades onde a mãe amamenta).

2. Se possível, servir lanches e refeições para as mães.

3. Permitir fotografias (feitas pelos pais ou pela equipe)

4. Permitir o livre acesso dos pais 24h.

5. Ter uma cadeira ao lado do berço.

6. Ter pelo menos um psicólogo no hospital.

7. Orientar os pais antes da primeira visita, apresentando a equipe pelo nome, e fornecendo infor mações em linguagem clara e de forma carinhosa sobre a criança, e um resumo simples sobre os equipamentos da UTI para não assustar os pais.

8. Permitir itens pessoais, desenho do irmão mais velho, ou uma foto, ou um santinho, observando as normas internas de higiene.

9. Na hora da chamada para entrar na UTI Neonatal, não se referir às mães e aos filhos como “RN de Maria”, e sim pelo nome do bebê ex: Mãe do Pedro, Ana ou Giovana.

10. Quando o quadro do bebê permitir, ensinar a mãe e o pai a realizar pequenas funções, ex: medir a temperatura, ou ainda se possível, trocar uma fralda.

11. Preparar os pais para cuidarem de seus filhos após a alta, certificando-se que eles compreenderam todas as instruções e cuidados.

12. Ter uma sala de consultas, onde o médico ou a equipe possa conversar com os pais com privacidade.

13. Saber que a equipe e os pais tornam-se uma “família de UTI”, e valorizar esse relacionamento, lembrando que cada um tem olhares diferentes sobre a criança.

14. Respeitar sempre as esperanças dos pais, sabendo que todas as informações já foram passadas sobre o estado da criança, as condutas adotadas, e tudo de maneira clara e precisa.

15. Em situação de perda de um bebê, oferecer informação aos pais de maneira cuidadosa, tranqüila, clara, sem pressa, em ambiente preservado. Permitir que estes tenham contato físico com o bebê, se assim o quiserem. Se possível, oferecer apoio psicológico neste momento e garantir retaguarda em ambulatório de psicologia.

O momento da alta

a67e9d105d87a83c2081372f8c241cc4_XL.jpg

É chegado o momento da alta da UTI Neonatal! O tão esperado dia, dia em que o bebê prematuro nasce pela segunda vez… Família e amigos ansiosíssimos. Obviamente não mais do que os próprios pais, que esperam há dias ou meses por aquele momento.

Bem, em meio a tantas coisas que passam na cabeça nessa hora, é importante garantir que o essencial esteja ok para levar o bebê para casa. Veja aqui algumas dicas de coisas importantes a serem lembradas:

Uso de equipamentos

Certifique-se de que você entende como realizar todos os procedimentos ou como utilizar equipamentos que seu bebê prematuro possa precisar em casa.

Pratique antes dele ter alta e peça para um membro da equipe da UTI Neonatal observar enquanto você estiver utilizando o equipamento ou administrando o medicamento ou dieta, para que tenham certeza que você está fazendo corretamente.

Esclareça suas dúvidas quanto à medicação que ele vai utilizar em casa e certifique-se que você sabe como oferecê-los, para quê eles servem, e se há efeitos colaterais que eles possam provocar.

Teste os equipamentos

Alguns prematuros que apresentam apnéia da prematuridade podem precisar de um monitor de frequência respiratória em casa, que avisa se o bebê pára de respirar durante o sono. Lembre-se que carícias suaves no rosto, braços ou pernas, ajudam a estimularo bebê a voltar a respirar.

Outros podem precisar de oxigênio e, nesse caso, o médico e/ou o fisioterapeuta podem ensinar como utilizar esses equipamentos.

Consultas de acompanhamento

Organize sua agenda para as consultas de acompanhamento da saúde do seu filho. Dependendo das necessidades do bebê prematuro, ele pode precisar de acompanhamento de alguns especialistas, sendo os mais comuns (além do próprio pediatra que o acompanha):- Oftalmologista- Enfermeira ou técnico de enfermagem de Home Care- Nutricionista- Fisioterapeuta- Fonoaudiólogo

Cadeirinha / Bebê conforto para o carro

Assegure-se de que o bebê conforto escolhido para transportar o bebê para casa é realmente adequado. Alguns possuem acessórios extras para garantir mais conforto e segurança aos bebês menores, como almofadinhas de encosto ou aquelas para não deixar a cabecinha do bebê solta demais.

Você pode pedir à equipe da UTI para levar a cadeirinha um dia antes da alta programada e testar se está tudo ok.

Proteção contra infecção

Uma vez que o prematuro nasceu antes do tempo e seu organismo ainda não está maduro, eles são mais vulneráveis à infecção, especialmente infecções respiratórias, como o Vírus Sincicial Respiratório (VSR).

Para prevenir infecções, aí vão algumas dicas:

  • Tenha certeza que todas as pessoas que tocam seu bebê, SEMPRE lave bem as mãos antes de fazê-lo
  • Pessoas que estão doentes não deve entrar em contato com seu prematuro
  • Enquanto ele for vulnerável (e quem determina esse período é o pediatra que o acompanha), evite levar seu bebê a lugares públicos, como shoppings, creches, supermercados e restaurantes
  • Nunca permita que fumem perto do seu pequeno
  • Pergunte ao pediatra sobre a necessidade e quais os procedimento para que seu bebê receba a vacina contra o VSR

Clique aqui para ler mais sobre cuidados com o prematuro ao ao receber visitas em casa.

Técnica de reanimação em caso de parada cardio-respiratória (PCR)

Aulas de PCR podem estar disponíveis para pais de prematuros em alguns hospitais, pergunte à equipe da UTI como você pode fazer para ter noções básicas sobre essa técnica.

Saiba a posição mais segura para o bebê dormir

Pergunte ao pediatra se há alguma recomendação específica para seu bebê, do contrário, a recomendação é que o bebê, seja ele prematuro ou não, durma de barriga para cima, e não de lado como se costumava orientar.

Na UTI o bebê provavlemente dormia de barriga para baixo, mas lembre ele estava sob supervisão constante da equipe e essa posição não é recomendada uma vez em casa.

Dormir de barriga para cima evita sufocamento e a morte súbita.

É aconselhado também retirar do berço cobertores não utilizados, bem como roupas e brinquedos.

Anúncios