dicas

Confira as Melhores dicas de como não “estourar” uma veia!

dicasestourarveiaNão importa o quanto você se considera bom em uma punção venosa, mas estourar uma veia ainda pode acontecer. E quando isso acontece, o seu paciente não é o único que sentirá desconfortável, você provavelmente se sentirá angustiado neste momento.

Para o entendimento, uma “veia estourada” pode significar basicamente que a agulha do cateter foi inserida muito profundamente, perfurando a veia em ambos os lados (a famosa transfixação da veia) e, potencialmente levando à infiltração ou extravasamento.

Mas porque as Veias podem estourar?

Existem várias e possíveis causas do por que estas veias estourem durante uma inserção do dispositivo endovenoso:

Veias frágeis

Algumas pessoas nascem com as paredes das veias fracas. Existem também alguns grupos etários específicos, que são mais propensos a apresentar veias frágeis. Os pacientes idosos, por exemplo, normalmente tem as paredes das veias fracas devido à degeneração dos tecidos conjuntivos relacionada à idade. Os pacientes pediátricos também podem ter paredes das veias fracas, tendo em vista que suas veias ainda são muito pequenas.

Veias Móveis ou “Bailarinas”

Existem algumas pessoas que possuem veias que são altamente móveis (comumente chamadas “veias bailarinas”), especialmente quando você tenta puncioná-las. Normalmente, a veia cefálica é a mais móvel que você vai encontrar. A rede venosa dorsal das mãos da maioria dos pacientes geriátricos também é grossa e móvel.

Cateter de calibre muito grande

Um cateter de grande diâmetro, quando utilizado em uma pequena veia, causará colapso venoso. É importante avaliar corretamente em primeiro lugar se o cateter que pretende usar é adequado para a veia do paciente.

Agora que já sabe de algumas causas, que tal aperfeiçoar suas técnicas com estas melhores dicas valiosas para uma punção de sucesso! 

1- Sinta as Veias!

Não basta só observar elas, mas você precisa apalpar elas!  Sinta a plenitude e integridade, escolhendo a veia mais perto da periferia e maior primeiro, pois se provavelmente estourar, não irá perder as outras veias mais internas, tendo mais opções para escolher outra punção, especialmente se você estiver usando um cateter de grande calibre. Sempre escolha uma veia reta e grande o suficiente para instalar o cateter para uma terapia endovenosa. Em casos de pacientes geriátricos, uma veia profunda pode ser menos propensa a estourar, uma vez que são mais estabilizadas e menos móveis.

2- Escolhendo o calibre ideal para sua veia

Se você não precisa infundir grandes quantidades de volumes, ou uma transfusão de sangue não é necessária, você pode usar um cateter mais delicado, com calibre mais fino.

Para pacientes adultos, no entanto, o calibre 22 geralmente é recomendado. Por outro lado, os cateteres de calibre 22 a 26 são comumente usados ​​para pacientes pediátricos.

3- O Bisel sempre para cima!

Esta técnica é feita para se certificar de que você não vai estourar uma veia ao avançar com a agulha. Além disso, você pode controlar melhor o ângulo de inserção quando o bisel está voltado para cima, e terá um ponto de entrada mais fácil quando a ponta da agulha entrar na pele.

bisel

Técnica correta da ponta do Bisel para a punção

4- Pacientes Geriátricos: Veias mais profundas!

Os Pacientes idosos geralmente têm veias frágeis, como aqueles na parte dorsal de suas mãos. Se você sabe que está lidando com uma veia frágil em um paciente idoso, procure veias as mais profundas que sejam mais estáveis ​​e menos móveis.

5- Use compressas quentes se o braço estiver frio!

Isso ajuda a dilatar os vasos sanguíneos, fazendo com que elas apareçam rapidamente. Panos quentes ou um cobertor podem ser usados se as compressas quentes não estiverem disponíveis.

6- Peça ao seu paciente para abrir e fechar o punho durante a avaliação da veia!

Isso irá melhorar a recarga venosa, especialmente se o braço estiver pendurado para baixo. Além disso, quando você está prestes a fazer uma punção venosa, certifique-se de pedir ao paciente para manter suas mãos e braços relaxados e apoiados em uma superfície reta.

7- Fixe a Veia

Você pode fazer isso segurando a pele e as veias com sua mão não dominante. Com esta técnica, você pode evitar que uma veia instável se mova lateralmente à medida que a perfurá-la.

8- Coloque a agulha em um ângulo de 15 a 30 graus

angulo

A imagem mostra o ângulo de inserção inicial apropriado para cateter IV periférico curto. Insira o cateter na veia com um ângulo de 15 a 30.

Ajuste o seu ângulo de aproximação de acordo com a profundidade da sua veia. A causa comum das veias estourarem é a inserção da agulha muito profunda. Em seguida, insira o cateter em cima da veia e diminua o ângulo para reduzir as chances de atravessar as duas paredes da veia. Faça a inserção lentamente mas de forma constante.

9- Insira o cateter diretamente por cima da veia!

Evite o acesso lateral, pois pode empurrar a veia para os lados, mesmo que esteja fixado pela mão não dominante. Inserir o cateter de veia por cima também reduzirá as chances de ele passar pelas duas paredes das veias.

10- Vá devagar com a inserção do cateter!

Dê o tempo suficiente para estimar o ângulo de aproximação para que você possa evitar movimentos bruscos. Sinta o cateter penetrar na veia. Em alguns casos, você pode até ouvir um pequeno clique e sentir que está recebendo um fluxo.

11- Ao puncionar uma veia e vendo retorno de sangue, pare o avanço do cateter e diminua o ângulo!

Isto é para evitar a perfuração da parede da veia novamente. Solte o torniquete em primeiro lugar. Diminua o seu ângulo de inserção à medida que avança o cateter um pouco mais. Em seguida, puxe de volta a agulha um pouco antes de avançar todo o cateter. Quando tiver inserido com sucesso o cateter, puxe a agulha rapidamente para conectar o equipo ou “torneira” de três vias e inicie a infusão EV com as primeiras gotas gotejando muito lentamente.

12 – Tente não usar um garrote em pacientes idosos!

Suas veias são tão grossas, mas muito frágeis, então apenas uma pequena pressão do torniquete pode explodir uma veia perfurada. Se você suspeita que há uma baixa integridade da veia, mas você pode facilmente ver e sentir a veia em um paciente idoso, tente fixar a veia sem usar um garrote.

No entanto, se você realmente não pode palpar a veia, você também pode tentar aplicar um garrote um pouco mais longe da sua veia escolhida.

 13- Quando inserir com sucesso o cateter, comece a infusão IV lentamente!

Apressar em iniciar o fluido endovenoso pode explodir a parede da veia devido ao grande volume súbito de líquido que está sendo infundido. Apenas deixe a infusão endovenosa começar lentamente, especialmente se você estiver trabalhando com veias frágeis.

14- Não “Pesque” uma veia!

Se você não conseguir um refluxo, não faça sua agulha girar por aí cavando o braço do seu paciente com intuito de achar uma boa veia. Não é apenas desconfortável para o paciente, mas também pode aumentar o risco de explodir a veia e criar vários hematomas indesejáveis.

Sempre que você não ver um refluxo no cateter, basta puxar a agulha um pouco e redirecioná-la. Se você ainda não conseguir, puxe a agulha para fora e comece novamente.

15- Se não conseguir depois de várias tentativas, chame um colega!

Como os profissionais de enfermagem mais antigos dizem, em vez em quando você experimentará um “feitiço seco” com a punção venosa. Se não é o seu dia, deixe de tentar e peça ajuda aos seus colegas.

Você também pode aprender técnicas de inserção endovenosas mais difíceis apenas observando os profissionais de enfermagem mais experientes para fazer a punção venosa. Lembre-se, sempre há muitas lições valiosas para aprender com as experiências de outros!

 Fonte: Nursebuff

Anúncios

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s