Opinião

Curativo de PICC: O Técnico de Enfermagem pode realizar?

Pergunta:

“Me chamo Cláudia, e sou técnica de enfermagem em uma UTI, onde os procedimentos de inserção de PICC são comuns e geralmente auxiliamos os Enfermeiros a realizarem este procedimento. Em um destes procedimentos, um Enfermeiro após terminar de inserir o cateter, deixou o curativo para eu mesma realizar. Fiquei intrigada, pois recebi orientações que nós técnicos não podemos estar realizando o curativo, e que no máximo, podemos lavar a via com soro fisiológico constantemente, para evitar obstruções. Podemos estar realizando curativos no cateter? O que o técnico de Enfermagem pode estar realizando quanto à este procedimento?”

Cara colega, o procedimento, tanto quanto os cuidados e a manutenção são privativas do Enfermeiro, sendo que este se equivocou quanto ao lhe passar este procedimento, na qual seria a manutenção da mesma.

Você recebeu a orientação corretamente, onde há instituições permitem que o Técnico de Enfermagem, realize a administração de medicamentos e a lavagem do cateter, deixando o cuidado e manutenção do curativo exclusivamente ao Enfermeiro.

Temos em respaldo o PARECER CT COREN-SP 043 /2013, quando dá-se a conclusão de que “a lavagem do cateter e a administração de medicamentos sejam preferencialmente realizados por Enfermeiros. O Técnico de Enfermagem, treinado e supervisionado por um Enfermeiro habilitado poderá realizar a lavagem do PICC e a administração de medicamentos, conforme protocolo desenvolvido pela instituição.“… Quanto a fixação do cateter, a mesma deve ser “exclusivamente realizada pelo Enfermeiro habilitado e capacitado, promovendo assim a inspeção, a palpação e a avaliação contínua do sítio de inserção do cateter.”

Espero ter ajudado.

 

Anúncios

4 respostas »

    • Olá Marinalva!

      Desde que esteja previamente prescrito pelo médico, o técnico de enfermagem pode estar administrando o MgSO4 no paciente, desde que é um eletrólito, é indicado para reposição dos níveis de magnésio, no tratamento de hipomagnesemia, edema cerebral, eclâmpsia, controle de convulsão em uremia aguda, tetania uterina, controle das arritmias cardíacas e intoxicação e envenenamento por bário, em adultos e crianças.

      Vale lembrar que deve seguir rigorosamente os cuidados de enfermagem com paciente nessas condições: Verificar sinais vitais antes, durante e após a infusão medicamentosa; – Realizar controle do balanço hídrico; identificar e anotar a presença e localização de edema; Alertar para sinais convulsivos; atentar para sinais depressivos do sistema nervoso central; controlar diurese; verificar presença de reflexo patelar e se a frequência respiratória está no mínimo 16 rpm e deixar preparado o antagonista do sulfato de magnésio que é o gluconato de cálcio.

      Relembrando: Somente administre à pedido médico e PREVIAMENTE PRESCRITO PELO MESMO!

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.