Histórias

Quando chega nossa avaliação profissional..

Bom, já estava me adaptando bem ao setor de Uti. Conheci muitas coisas no princípio, obtido muitas dicas e aprendi muito. Trabalhei com quase todos os colegas, convivi a cada minuto. Já se passava 1 mês, e era hora de ter minha primeira avaliação  como profissional. Fui chamado pelo meu chefe de setor e fomos encontro a sala da coordenadora de enfermagem. Estava tenso, ansioso, nervoso, e feliz ao mesmo tempo. Não sabia ao certo o que iria acontecer, pois é uma realidade nova para mim. 

Antes da coordenadora chegar, estavamos lá , eu e o enfermeiro que me treinou pelo primeiro mês. Ele percebeu minha tensão e falou em um tom baixo “não se preocupe.. Vai dar tudo certo! Tenha confiança em si mesmo.”. E eu agradeci.

E lá chegou a coordenadora. “bom dia! Tudo bem com vocês?” E tremulamente respondi à pergunta. “Ancioso somente”, e eles olharam para meu rosto e deram um sorriso. Dai fiquei mais nervoso ainda. A coisa mais estressante para mim é quando você não sabe das coisas,  e as pessoas do redor sabem. Você ficar sem reação à essas situações, mesmo você sabendo que deu o máximo de si e que tenha tido certeza que não fez nada de errado.. Não sabe se irá passar em uma avaliação, não sabe o que vão perguntar. Odeio surpresas. Mas como eu não tinha para onde correr, fiquei preso a essa situação até que acabasse bem. 

E a dona coordenadora puxou um papel. Parecia umas perguntas e 3 lacunas com pequenas respostas para o enfermeiro checar. “Precisa melhorar, ótimo, acima do esperado”, parecia ser essas respostas, estava num momento tão tenso que as li em um movimento rápido. E dai então que se começaram as perguntas em voz alta por ela ao enfermeiro, e eu somente ali calado, observando. Como eu estava muito nervoso e para mim como fico nessa situação, eu me lembro vagamente do que foi perguntado. Somente algumas perguntas consegui captar. Não via hora disso acabar! 😂😱

“Como seu funcionário se comporta? Ele é assíduo, tem comprometimento ao seu serviço?” Foi uma das perguntas. Arregalei meu olhos, me veio à memória de que sou uma pessoa chata, não gosto de faltar, chegar em cima da hora e nem atrasado, evito dar atestados. Só se tivesse muito doente e que me impedisse de exercer meu trabalho.Faço de tudo para chegar um pouco cedo, eu acho que isso nunca teria problema! “Isso não tenho do que reclamar”, contempla o enfermeiro. “Durante esse mês pelo que percebi, não obtive reclamações de assiduidade. E parece ter bastante interesse em estar sempre aprendendo”, e checou o item “acima do esperado”.

Engoli à seco de alívio. Pensei logo comigo “ufa, menos um!”. E lá se foi indo as perguntas, umas sendo checadas como “ótimo”, acho que não me lembro de alguma checada “precisa melhorar”.  Acho que a entrevista deve ter durado uma 10 minutos. E no final das contas,  estava apto a continuar a exercer minha função, e teria uma segunda avaliação depois dos 45 dias. Os dois me parabenizaram e a coordenadora enfatizou para que continuasse com esse esforco e comprometimento, pois eles procuram muito disso em um profissional. Agradeci muito pela oportunidade dada, e agora estou mais motivado a continuar! Toda aquela tensão , medo e nervosismo do momento sumiram.. Ufa! Voltei para minha unidade feliz! 

Não importa o tempo que você trabalhe. Seus superiores estarão sempre avaliando seus colaboradores. A chave do sucesso é o comprometimento e assiduidade, esforco e boa vontade de aprender. Aprendi que quanto mais eu quero alguma coisa, vou lá e faço de tudo positivamente, as pessoas ao redor irão notar, e chegará aos ouvidos de que precisa. Uns irão distorcer, outros irão aumentar. O que importa é você ter a certeza de que está fazendo o melhor para si e para o próximo.

Anúncios

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.