Histórias

Tudo começou lá trás …

Olá galera, tudo bem com vocês? Bom, vou resumir um pouco de tudo onde começou. Há alguns anos atrás, fiz diversos cursos profissionalizantes , para atuar no mercado. Fiz informática (curso técnico junto com o ensino médio que era obrigatório na minha época ), técnico em nutrição (fiz somente 6 meses e não me identifiquei em nada 😭), tentei até técnico em química mas foi um fracasso também, pois eu e os átomos não nos identificamos também…

Por algum tempo fiquei frustrado porque nada em que tinha na época de profissões na moda era o que queria… Fiz alguns bicos na área de informática,  e mesmo assim não era feliz naquilo e, que fazia.

Até um certo tempo me joguei em um curso técnico chamado “segurança do trabalho”. Poxa. Achei que estava indo no caminho certo. Tinha muitas normas chamadas “nrs” e tinha um pouco sobre primeiro socorros também. Me apaixonei por essa matéria! Parecia que as coisas em que aprendia nessa matéria fluía bem pra mim, tanto na teoria quanto na pratica. Mas enfim. Fiz esse curso por 1 ano e meio e me formei como técnico de segurança. Mas mesmo assim não estava me sentindo confortável.. Fui procurar um pouco a mais sobre a parte de primeiro socorros. Saber se tinha algum curso relacionado a isso.

Na minha época, estavam falando muito sobre o curso de auxiliar de enfermagem. Fui procurar saber mais, pois aquilo me instigava. Diziam as escolas que era preferível fazer primeiramente esse curso antes de tentar o técnico e até mesmo a graduação. Pois então me inscrevi e estava muito ansioso em começar o curso. Não sei, mas desde pequeno gostava de cuidar de bichos, plantas, e até de brincar que cuidava de pacientes. Era uma coisa que estava no subconsciente mas nunca cheguei a parar para pensar que realmente o que eu gostava era cuidar do próximo. Comecei primeiramente o curso auxiliar de enfermagem em uma escola particular. Na minha época esse curso tinha de duração 1 ano e meio junto com os estágios. As matérias que me lembro que tive foram introdução a enfermagem, saúde da mulher, farmacologia, anatomia , fundamentos de enfermagem, entre outros que agora não me recordo.

Gente! Me senti no céu! Logo na primeira semana, naquela adrenalina de aprender logo sobre isso, me deixou estimulado a querer aprender mais. Tivemos muitas aulas práticas na introdução à enfermagem, como aprender  a aferir a pressão, verificar pulso (contando com o relógio de pulso analógico que a professora mandava… Era proibido relógio digital! 😂), verificação  da temperatura… Nós éramos sempre monitorados pela professora. E que grande mestra. Adorava as aulas dela. era uma enfermeira de estudos bem antigos, e agente sentia confiança vinda dela.. Sempre ensinava do modo mais correto de fazer as coisas.

A aula mais legal era quando puncionamos acessos uns aos outros. Era uma tentativa ali, aqui… Até conseguir pegar a  primeira veia! Fiquei tão feliz quando puncionei de um cara meio gordinho… E que era difícil até de apalpar… Naquela época ainda, a professora ainda nos ensinou a passar uma sonda gástrica, sonda de alívio e de demora (no qual hoje em dia esses procedimentos agora competem somente aos enfermeiros).  Foi uma época boa.

Na aula de anatomia nos tínhamos de decorar as passagens de tudo. Da circulação do sangue, do ar nos pulmões, saber todos os nomes do órgãos internos, regiões do corpo. Era uma aula tensa, porque era tudo decoreba.

Lembro um pouco dos meus colegas. Me lembro que a classe era bem grande, começamos com mais ou menos 20 pessoas no curso de auxiliar. E conforme foi passando o tempo, as provas vindo, algumas pessoas chegaram a desistir por verem Que não era aquilo que queriam, e foi diminuindo drasticamente o número dos colegas da minha classe.  E mesmo assim tinha aqueles espertos, que sempre tentavam colar nas provas e falavam “ah isso é moleza”.

Ah, mas como pra mim aquilo era tudo maravilhoso, sempre me aprofundei além do que se ensinava no curso. Sempre procurei a pesquisar mais sobre os assuntos discutidos em sala de aula…  Gostava de me destacar nos trabalhos apresentados em aula. Apesar de não ter experiência naquela época na área, sempre buscava em vídeos da internet sobre a matéria que tinha que apresentar. Vendo ao  menos como se fazia, para poder argumentar depois em sala de aula.

Gostava muito desses trabalhos porque muitos deles se podia mostrar a pratica. Gostava de mostrar por exemplo, um auxílio de passagem de dreno em hemitorax . Mostrar a bandeja, o que tinha que comunicar ao paciente, e ajudar o médico. É claro, sempre ter a correção correta da professora naquele trabalho.  Eu via o olhar instigante dos meus colegas, fascinados a quererem aprender mais. Isso que nos estimulava!

Me lembro que aprendi muito no curso de auxiliar de enfermagem. Foram já quase 1 ano e meio… E A hora mais esperada era a época dos estágios! Como estávamos ansiosos em começar… Fizemos estágio em um hospital particular de grande porte, e começamos pela clínica médica. Era uma enfermaria de 40 leitos misto, de convênio. O grupo de estágio era dividido em 2 grupos… Éramos em 10 no total, e fomos divididos em 2 grupos de 5 . Fiquei com a supervisora que por incrível que pareça era a mesma que me deu aulas de introdução. Fiquei muito feliz em saber que ainda iria aproveitar muito das experiências dela….

No primeiro dia, tínhamos que ir impecáveis. Todos de branco, meninas de coque no cabelo,  meninos de barba feita, todos de branco e usando jaleco dentro do hospital.  Era , e é norma de estágio estar com todo o material de bolso em mãos. No primeiro dia fizemos um pequeno tour pelo hospital, o conhecemos cada aposento em que ali se situava e como o hospital funcionava.  Depois chegamos na enfermaria onde ficaríamos para fazer nosso estágio. No primeiro dia aprendemos a ler prescrição médica, a escrever anotações de enfermagem , e algumas terminologias. Estava adorando aquilo! Aquele ambiente enorme, ver todas aquelas pessoas esperando por nossa ajuda, parecia que eu não queria sair dali até aprender tudo!

Conforme foi passando o tempo dos estágios, nós aprendemos muitas coisas legais como auxiliar um paciente em banho de aspersão, banho no leito, curativos simples, trocas de fraldas, verificar glicemia capilar, sinais vitais, enfim, tudo aquilo em que era de nossa competência. Mais pro finalzinho do estágio,  tivemos uma breve passagem a introdução dos fármacos, ou seja, medicamentos usados naquela enfermaria. Eu não queria parar por ali!

E quando foi chegando ao final dos estágios e do curso, já me programei a fazer meu currículo profissional e distribuir pelos hospitais em que estava contratando.  1 semana antes de todo o término deste curso, fui convocado neste hospital onde estava a fazer meu estágio, a fazer a prova para concorrer uma das vagas, naquela época.

Eu fiquei muito feliz pela rapidez em que consegui ser chamado antes mesmo de terminar! Me senti no dever de correr atrás de toda a burocracia pós termino para adquirir meu coren de auxiliar de enfermagem!

Fiz a prova do hospital. Foram 10 perguntas de diversos temas voltamos a enfermagem, tudo em alternativas. Estava muito fácil, para quem é recém formado do curso. Tinha cinco questões de farmacologia, que não estava difícil.

No dia em que prestei a prova havia 50 pessoas ali, todas pelo mesmo motivo. Tentar uma das vagas disponíveis. O hospital exigia que as pessoas prestassem a prova de branco, e vi que muitas ali não foram conforme, e que não acabaram fazendo a prova. Fiquei na expectativa de ser chamado, porque estava muito ansioso em começar a trabalhar na área da saúde.

Demorou um pouco processo, depois de 3 semanas, me ligaram para dizer que havia passado na prova e estaria fazendo o próximo  passo. Nossa! Me enchi de alegria, fui correr atrás do meu certificado para o coren liberar meu número… Geralmente demora um tempinho.

Pulando depois de tudo isso, depois de feitos prova  psicotécnica e passado, lá estava eu, já pronto para começar mais uma etapa na minha vida. Começamos com integração, aprendemos tudo sobre as normas do hospital, e fomos encaminhado para os setores em que iríamos ficar. E por incrível que pareça, fiquei exatamente na enfermaria onde prestei estágios! Conhecia já os colegas enfermeiros, auxiliares e alguns médicos de lá. Já me sentia em casa! Durante o primeiro mês ficamos sob supervisão de um enfermeiro, no qual iríamos ser treinados e avaliados.  Como eu era um simples ” novato” comecei a mostrar um pouco sobre o que aprendi que na pratica.  Acho que até que fui bem, porque a enfermeira me deixou a vontade, e que pudesse perguntar sobre qualquer dúvida ali na hora.

Me aperfeiçoei mais nas técnicas de aspiração de medicação, de como abrir uma ampola corretamente, de administrar uma medicação. Tudo supervisionado pela enfermeira. Até foi se passando tempo, já mais familiarizado com as rotinas da enfermaria, ali eu já completava 3 meses de experiência.

E então no próximo post estarei contando sobre quando decidi começar a fazer o curso técnico!

Anúncios

4 respostas »

  1. Nossa! Amei o seu blog! Me identifiquei muito. Estou cursando o primeiro semestre do curso técnico de enfermagem, e estou passando por umas etapas nada fáceis! Muita coisa para estudar! Como é bom ler coisas que de dão mais animo. Sei que não sou a única a passar por várias dificuldades, e isso me torna mais confiante… Eu acho. Só tenho um pouco de medo em enfrentar meu primeiro trabalho… Será que é fácil se adaptar logo de cara? Beijos e continue assim, me tornei uma seguidora !

  2. Parabéns pelo blog! Estou adorando suas histórias. Estouvterminando o auxiliar e já tenho foco em fazer o técnico..! Espero ter histórias assim para contar! 😘

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.